PSD/Faro acusa PS de tentar «colher louros indevidos» ao pedir Polícia Municipal

Sociais democratas acusam socialistas de reduzir «a pó» as propostas «mais significativas para o concelho»

O PSD/Faro acusa o PS da capital farense de tentar «colher louros indevidos» ao querer a criação de uma Polícia Municipal e a instalação de um posto da PSP em Montenegro. 

Os socialistas deram conta, na passada terça-feira, 12 de Fevereiro, que vão propor à Assembleia Municipal que recomende a elaboração do regulamento para a criação de uma Polícia Municipal em Faro.

Num comunicado divulgado esta sexta-feira, 15 de Fevereiro, o PSD diz que o PS veio a público com estas reivindicações «na esteira de todas as démarches já tramitadas pelo executivo municipal e pela junta de freguesia, que tudo têm feito para alcançar esses desideratos».

«O que o PS esquece e omite é a preocupante falta de condições de operacionalidade para assegurar esse serviço de proximidade, numa polícia que, em Faro, cada vez tem piores meios, menos recursos humanos e com cada vez menos motivação para fazer o seu trabalho. Portanto, nesta matéria, o que sugerimos ao PS é que, ao invés de procurar colher louros indevidos de um futuro não concretizado, faça ouvir a sua voz para reivindicar mais meios e mais segurança, com mais polícias e viaturas para o nosso concelho», lê-se.

No mesmo comunicado, os sociais democratas acusam o PS de incoerência. «De um lado, temos um presidente da Assembleia Municipal de Faro que não se coíbe de ir a um concelho vizinho prestar vassalagem ao ministro Cabrita, enquanto traiçoeiramente se firmava a retirada a Faro do Comando da GNR. Do outro, temos os dirigentes concelhios que, certamente por embaraço, não emitiram até hoje uma linha sobre o assunto», acusa o PSD.

Os PSD responde ainda ao PS que, no mesmo comunicado em que dava conta da proposta de criação da Polícia Municipal, censurou «a atitude do presidente do Município que teima em não querer fazer cumprir as deliberações tomadas por órgão competente, para a efetivação de auditoria aos últimos exercícios da Empresa Municipal Ambifaro – Mercado Municipal».

Segundo os sociais democratas, está a ser feita uma auditoria que «apenas evidenciará os esforços realizados para viabilizar um mercado que nasceu torto e que pior ficou após a contração, pelo PS, de empréstimos em condições leoninas para o Município».

Por fim, o PSD acusa os socialistas de, na mesma tomada de posição, debitarem «sound bytes populistas, exigindo mais apoios municipais, esquecendo que essa é essencialmente uma obrigação da Administração Central, conforme constitucionalmente consagrado».

Até porque, de acordo com os sociais democratas, «o atual Executivo Municipal foi o primeiro a impor regras objetivas nos apoios às associações e, neste momento, a Câmara consegue ter o mais elevado e transparente nível de apoio social de sempre».

Comentários

pub
pub