PS/Faro vai propor criação de Polícia Municipal

Socialistas voltam a deixar críticas ao atraso na auditoria à Ambifaro

O PS/Faro vai vai propor à Assembleia Municipal que recomende a elaboração do regulamento para a criação de uma Polícia Municipal em Faro. Em comunicado enviado esta terça-feira, os socialistas fazem ainda críticas a Rogério Bacalhau, presidente da Câmara, por não fazer uma auditoria às contas da Ambifaro e por «virar a cara às situações de emergência social».

Sobre a criação da Polícia Municipal, o PS considera que é necessário «reorganizar os serviços do município, quer face às novas atribuições de fiscalização que aceitou do Governo, por via da descentralização, quer pela decisão de controlar o parqueamento tarifado e ainda por se impor a necessidade de libertar recursos humanos das forças de policia (GNR e PSP) para as ações de melhoria de segurança de proximidade às populações e prevenção criminal».

O PS/Faro, no mesmo comunicado, censura também «a atitude do presidente do Município que teima em não querer fazer cumprir as deliberações tomadas por órgão competente, para a efetivação de auditoria aos últimos exercícios da Empresa Municipal Ambifaro – Mercado Municipal e assim hostilizar o funcionamento democrático da atividade municipal, colocando em causa o princípio da confiança institucional, transparência e da legalidade». «O que tem a esconder?», questionam os socialistas.

A comissão política concelhia do PS apela ainda «para que se reúnam as condições de efetivo apoios às Instituições de Solidariedade, em particular as que dirigem o seu trabalho aos munícipes em situação de sem-abrigo em Faro e a que o município diretamente também se mostra insensível a dar resposta».

Os socialistas acusam também Rogério Bacalhau de «confundir atos de caridade com acompanhamento social» e dizem que «a autarquia tem a responsabilidade de criar mecanismos de intervenção com respostas imediatas para as situações de emergência, em vez de continuar a fazer de conta que tudo vai bem neste reino de festança».

Comentários

pub
pub