Pogacar ganha Volta ao Algarve, mas Stybar foi rei no Alto do Malhão

Ciclista da UAE Emirates ostentava a camisola amarela desde o segundo dia

Foto: Nelson Inácio | Sul Informação

O esloveno Tadej Pogacar (UAE Team Emirates), de 20 anos, sagrou-se este domingo vencedor da 45ª Volta ao Algarve em Bicicleta, após a 5ª e última etapa, que ligou Faro ao Alto do Malhão, num total de 173,5 quilómetros.

A tirada foi ganha pelo checo Zdenek Stybar (Deceuninck-Quick Step), que se impôs ao sprint nos últimos metros da etapa.

Stybar cumpriu os 173,5 quilómetros, entre Faro e o Alto do Malhão, em Loulé, em 4:13.48 horas, menos três segundos do que o dinamarquês Soren Kragh Andersen (Sunweb) e nove do que o holandês Wout Poels (Sky).

Vencedor da última Volta a França do futuro, o jovem Pogacar, de 20 anos, segurou a liderança que já detinha desde a 2ª etapa, com 14 segundos de avanço sobre Kragh Andersen e 21 sobre Poels.

Dois portugueses terminaram a prova no top-10, com Amaro Antunes (CCC), que já venceu no Malhão em 2017, a ser oitavo, a 2.52 minutos, e João Rodrigues (W52-FC Porto) a ser nono, a 3.27.

Das equipas algarvias, o mais bem posicionado nesta 5ª etapa foi Frederico Oliveira, do Sporting/Tavira, em 12º, enquanto David de La Fuente, do Aviludo/Louletano terminou a tirada em 22º.

Zdenek Stybar venceu a etapa – Foto: Nelson Inácio | Sul Informação

Os 40 quilómetros finais da etapa foram eletrizantes, plenos de emoção e de ataques consistentes, que valorizaram o triunfo final do esloveno de 20 anos. O dinamarquês Søren Kragh Andersen (Team Sunweb) partiu para a derradeira etapa na segunda posição, apenas a 29 segundos do comandante.

Após a primeira passagem no Malhão, em que a Team Sky e a Team Sunweb dizimaram o pelotão com um ritmo violento, Søren Kragh Andersen tentou apoderar-se da Camisola Amarela Turismo do Algarve.

O corredor nórdico arrancou do grupo dos favoritos em plena subida para Vermelhos, a 22 quilómetros do final. Teve a companhia de Zdeněk Štybar, Stephen Cummings (Team DImension Data) e David de la Cruz (Team Sky), mas foi Søren Kragh Andersen a arcar com a maior parte do trabalho, que lhe permitiu entrar na última escalada ao Malhão com 1m20s de vantagem sobre o grupo dos candidatos.

A subida final deixou na frente apenas Søren Kragh Andersen e Zdeněk Štybar mas o mais interessante da corrida jogava-se atrás, onde os ataques se sucediam, assinados por gente como Amaro Antunes (CCC Team), Wouter Poels (Team Sky) ou Enric Mas (Deceuninck-Quick Step), aos quais Sam Oomen (Team Sunweb) ia respondendo como podia, em defesa de Kragh Andersen.

As movimentações dos favoritos tiveram o condão de aproximar o grupo de trás da cabeça de corrida. Demonstrando uma maturidade surpreendente para os 20 anos de idade, Tadej Pogačar não tremeu perante a ausência de companheiros de equipa nem foi ao choque perante as investidas rivais.

O sangue-frio permitiu-lhe segurar a Camisola Amarela Turismo do Algarve, até porque o adversário mais perigoso, Søren Kragh Andersen pagou o preço da ousadia e claudicou em cabeça de corrida.

Zdeněk Štybar cortou a meta isolado, ao fim de 4h13m48s de uma etapa de montanha corrida à espantosa média de 41,017 km/h. Søren Kragh Andersen gastou mais 3 segundos e Wouter Poels, vindo de trás, ficou a 9 segundos.

“É o terceiro ano que ataco nesta etapa do Malhão. No ano passado estava igualmente em boa forma mas fiquei bloqueado nos últimos metros. Desta vez correu bem melhor, consegui vencer e isso, em termos de confiança, faz uma grande diferença. Este triunfo é a confirmação do trabalho no Inverno. A forma está lá, e agora espero aproveitá-la nas próximas corridas e estar bem na temporada das Clássicas”, frisou Štybar.

Tadej Pogacar, o vencedor da Volta – Foto: Nelson Inácio | Sul Informação

Tadej Pogačar foi o sexto, a 18 segundos, sucedendo a Michal Kwiatkowski como vencedor da Volta ao Algarve. O corredor da UAE Team Emirates é o segundo ciclista da Eslovénia a revelar-se ao mundo do ciclismo na corrida portuguesa, depois de Primož Roglič ter vencido em 2017.

O novo herói da Volta ao Algarve conquistou, assim, a primeira corrida ao serviço de uma equipa do WorldTour, gastando 19h26m34s para completar as cinco etapas. Søren Kragh Andersen foi o segundo, a 14 segundos, e o holandês Wouter Poels fechou o pódio, a 21 segundos.

“Quando cruzei o risco não sabia a diferença. Disseram-me que ganhara e não consigo descrever como me senti feliz. Obrigado à minha equipa por me ajudarem a vencer. Os meus colegas puxaram na frente do pelotão durante toda a etapa e não os queria desiludir. A etapa foi muito rápida e especialmente nervosa nos últimos 50 quilómetros. Foi difícil ser paciente e não responder diretamente aos ataques dos meus adversários na parte final, mas os meus colegas estavam fortes e depositei neles toda a minha confiança. Depois deste triunfo vou fazer um ‘reset’ e voltar a focar-me no que a equipa me pedirá. É espetacular repetir a vitória de Primož Roglič e tornar-me o segundo esloveno a vencer no Algarve. O ciclismo na Eslovénia está a crescer e certamente iremos ver mais eslovenos no WorldTour. Gostei de correr no Algarve. Esta vitória ficará na minha memória e espero regressar mais vezes”, declarou o vencedor.

Todas as classificações foram conquistadas pelas equipas WorldTour. Tadej Pogačar juntou classificação da juventude à geral individual, o campeão da Alemanha de fundo, Pascal Ackermann (Bora-hansgrohe) levou na bagagem a Camisola Vermelha Cofidis, dos pontos, e o belga Tim Declercq (Deceuninck-Quick Step) aproveitou a fuga de hoje, na qual foi um dos 13 elementos presentes, para tomar conta da Camisola Azul Águas do Algarve de melhor trepador. A Team Sky impôs-se coletivamente.

Esta derradeira tirada da Algarvia foi seguida por milhares de adeptos do ciclismo, que quase acamparam ao longo da estrada, em especial nos quilómetros mais próximos do Alto do Malhão. Como sempre, houve festa e muitos apoiantes dos ciclistas portugueses, como o algarvio Amaro Antunes.

 

Classificação da etapa:

1. Zdenek Stybar, Cze (Deceuninck-Quick Step), 4.13.48 horas.

(média: 41,02 km/hora)

2. Soren Kragh Andersen, Din (Sunweb), a 3 segundos.

3. Wout Poels, Hol (Sky), a 9.

4. Enric Mas, Esp (Deceuninck-Quick Step), a 12.

5. Stephen Cummings, GB (Dimension Data), a 17.

6. Tadej Pogacar, Slo (UAE-Emirates), a 18.

7. João Pedro Rodrigues, Por (W52-FC Porto), a 24.

8. Sam Oomen, Hol (Sunweb), a 30.

9. Tao Geoghegan Hart, GB (Sky), a 31.

10. Amaro Antunes, Por (CCC), a 34.

Classificação da geral individual:

1. Tadej Pogacar, Slo (UAE-Emirates), 19:26.34 horas.

2. Soren Kragh Andersen, Din (Sunweb), a 14 segundos.

3. Wout Poels, Hol (Sky), a 21.

4. Enric Mas, Esp (Deceuninck-Quick Step), a 25.

5. Sam Oomen, Hol (Sunweb), a 1.40 minutos.

6. Zdenek Stybar, Cze (Deceuninck-Quick Step), a 1.54.

7. Neilson Powless, EUA (Jumbo-Visma), a 2.50.

8. Amaro Antunes, Por (CCC), a 2.52.

9. João Rodrigues, Por (W52-FC Porto), a 3.27.

10. Simon Spilak, Slo (Katusha-Alpecin), a 3.47.

Classificação dos pontos:

1. Pascal Ackermann, Ale (BORA-hansgrohe), 29 pontos.

2. Fabio Jakobsen, Hol (Deceuninck-Quick Step), 25.

3. Dylan Groenewegen, Hol (Jumbo-Visma), 25.

Classificação da montanha:

1. Tim Declerq, Bel (Deceuninck-Quick Step), 15 pontos.

2. Wout Poels, Hol (Sky), 11.

3. Tadej Pogacar, Slo (UAE-Emirates), 10.

Classificação da juventude:

1. Tadej Pogacar, Slo (UAE-Emirates)

2. Neilson Powless, EUA (Jumbo-Visma)

3. Marc Hirshi, Sui (Sunweb)

Classificação por equipas:

1. Sky, GB

2. UAE-Emirates, UAE

3. Sunweb, Ale

 

Fotos: Nelson Inácio | Sul Informação

 

Palmarés da Volta ao Algarve

2019 Matej Pogacar, Esl (UAE-Emirates)

2018 Michal Kwiatkowski, Pol (Sky)

2017 Primoz Roglic, Esl (Lotto NL-Jumbo)

2016 Geraint Thomas, GB (Sky)

2015 Geraint Thomas, GB (Sky)

2014 Michal Kwiatkowski, Pol (Omega Pharma-Quickstep)

2013 Tony Martin, Ale (Omega Pharma-Quickstep)

2012 Richie Porte, Aus (Sky)

2011 Tony Martin, Ale (HTC-Highroad)

2010 Alberto Contador, Esp (Astana)

2009 Alberto Contador, Esp (Astana)

2008 Stijn Devolder, Bel (QuickStep)

2007 Alessandro Petacchi, Ita (Milram)

2006 João Cabreira, Por (Maia-Milaneza)

2005 Hugo Sabido, Por (Paredes)

2004 Floyd Landis, USA (US Postal)

2003 Claus Moller, Ale (Milaneza-MSS)

2002 Cândido Barbosa, Por (LA Pecol)

2001 Andrea Ferrigato, Ita (Alessio)

2000 Alex Zuelle, Sui (Banesto)

1999 Melchior Mauri, Esp (Benfica)

1998 Thomas Konecny, Che (ZWZ Cycling)

1997 Cândido Barbosa, Por (Maia-Cin)

1996 Alberto Amaral, Por (Tróia-Marisco)

1995 Cássio Freitas, Por (Recer-Boavista)

1994 Vítor Gamito, Por (Sicasal)

1993 Cássio Freitas, Por (Recer-Boavista)

1992 Joaquim Gomes, Por (Recer-Boavista)

1991 Joaquim Andrade, Por (Sicasal-Acral)

1990 Fernando Carvalho, Por (Philips)

1989 Fernando Carvalho, Por (Louletano-Vale Lobo)

1988 Joaquim Gomes, Por (Louletano-Vale Lobo)

1987 Manuel Cunha, Por (Sicasal-Acral)

1986 Manuel Cunha, Por (Lousa)

1985 Eduardo Correia, Por (Sporting)

1984 Belmiro Silva, Por (Ovarense)

1983 Adelino Teixeira, Por (Lousa)

1982 Alexandre Ruas, Por (Lousa)

1981 Belmiro Silva, Por (FC Porto)

1980 Firmino Bernardino, Por (Lousa)

1979 Firmino Bernardino, Por (Lousa)

1978 Joaquim Andrade, Por (Águias)

1977 Belmiro Silva, Por (FC Porto)

(…)

1947 Serafim Paulo, Por (Lisgás)

(…)

1936 Joaquim Fernandes, Por (Sporting)

Comentários

pub
pub