No Carnaval de Loulé, só não se brinca com o ambiente

Bilhetes custam 2 euros

À sátira e folia, com figuras como Marcelo Rebelo de Sousa, António Costa, Donald Trump, Bolsonaro ou Luís Filipe Vieira, junta-se a aposta na sustentabilidade a nível ambiental. O Carnaval de Loulé sai à rua nos dias 3, 4 e 5 de Março e, este ano, todos os copos utilizados vão ser 100% biodegradáveis e reutilizáveis. 

Esta é uma das grandes novidades do popular Carnaval de Loulé, considerado o mais antigo de Portugal, e que este ano tem como tema “Circo Selfie”.

«É um fator de inovação. Vamos utilizar milhares de copos, feitos em material biodegradável, neste caso em cartão prensado, que podem ser utilizados até três ou quatro vezes», explicou Vítor Aleixo, presidente da Câmara de Loulé, na apresentação do Carnaval, realizada esta segunda-feira, 25 de Fevereiro.

Estes copos vão ser distribuídos pelos bares existentes na Avenida José da Costa Mealha, onde desfila o corso. Para o edil, a medida «é um sinal que se dá aos turistas e foliões no sentido em que fazemos a nossa parte para cuidar do ambiente».

Os copos serão mais tarde levados para o aterro de compostagem e transformados em composto de qualidade para a agricultura. Mas, além da aposta ambiental, o Carnaval de Loulé terá muita sátira e folia.

«É algo sempre subjacente, embora existam temas específicos. Na base está sempre a sátira, desde figuras públicas, nacionais e internacionais. Este ano não é exceção», disse Vítor Aleixo.

O tema deste ano é “Circo Selfie”. E porquê? «As selfies são uma coisa que todos tiramos, a começar pelo nosso Presidente da República, que ainda as popularizou mais», explicou o autarca louletano.

Para completar o tema, este ano haverá, na Avenida José da Costa Mealha, trapezistas, palhaços e malabaristas, para transformarem o corso num autêntico circo ao ar livre.

Quanto aos carros alegóricos, serão 14 no total, tripulados pelos clubes e associações do concelho, bem como escolas de samba.

No quadro desta paródia, em cima de um dos carros, Marcelo Rebelo de Sousa participa neste “Circo Selfie”, numa viagem relâmpago entre Lisboa e o Porto à boleia de um camião, naquela que é uma paródia ao recente momento que envolveu o Presidente da República para ouvir as preocupações dos camionistas.

Outro residente neste desfile é Cristiano Ronaldo. O futebolista volta à Avenida José da Costa Mealha, acompanhado pela mãe Dolores Aveiro, mas, desta vez, ainda com outra personagem: a norte-americana Kathryn Mayorga, que acusou Ronaldo de violação.

Também uma “Tourada À Portuguesa”, com o político e poeta Manuel Alegre como principal espectador, ou o domador de leões e dragões Luís Filipe Vieira, são outros dos episódios que prometem divertir os foliões.

E porque o Carnaval de Loulé retrata, em tom de paródia, não só o que se passa no país, mas também no mundo, as estrelas da política internacional não escapam a esta sátira.

Theresa May e Angela Merkel surgem como halterofilistas na arena deste “Circo Selfie”, numa disputa para saber quem é a campeã do levantamento de pesos, numa brincadeira ao Brexit, a controversa saída do Reino Unido da União Europeia, e ao peso da Alemanha no contexto europeu.

Também em termos internacionais, Donald Trump que, em 2017, trouxe a Loulé as suas trumpalhadas e, em 2018, apareceu junto ao muro do México, este ano regressa como lançador de facas, fazendo os seus arremessos a dois alvos distintos: aos muçulmanos e aos mexicanos.

Uma das críticas que é por vezes apontada ao Carnaval de Loulé prende-se com o uso de muitos elementos importados do Brasil, país com forte tradição carnavalesca, mas Vítor Aleixo não vê isso com maus olhos.

«É uma crítica que apontam todos os anos, que é um Carnaval muito abrasileirado. Numa altura em que há tantas coisas globais, por que não deveríamos ter a incorporação de elementos festivos, que são característicos do Brasil, no Carnaval de Loulé? Não vemos mal nenhum nisso e achamos que é um fator de enriquecimento, integrando as boas tradições do Carnaval do Brasil, que se combinam bem com aquela que é a raiz aqui em Loulé», considerou.

O autarca deixa mesmo um convite: «não se limitem ao papel de espectadores. Arranjem um traje, vistam uma pele brincalhona e envolvam-se no Carnaval».

Nos três dias, o desfile arranca às 15h00 e prolonga-se até às 17h30. As entradas custam 2 euros e todas as receitas de bilheteira revertem a favor de instituições de solidariedade do concelho e do movimento associativo que participa no corso.

Como já é hábito, o desfile de Carnaval Infantil abre o extenso programa carnavalesco de Loulé, com o desfile dos alunos das escolas do concelho, na sexta-feira, dia 1 de Março, na Avenida José da Costa Mealha, a partir das 10h00.

Na noite de segunda-feira, 4 de Março, o “Palácio” do NERA, na Zona Industrial de Loulé, recebe o Baile de Gala dedicado também ao tema do “Grandioso Circus Lauroé”. As entradas custam 12 euros.

Relativamente aos eventos desportivos, destaca-se o 45º Torneio Internacional de Vela de Carnaval, em Vilamoura, que é já um clássico desta modalidade. Acontece nos dias 2, 3 e 4 de Março.

De entre as outras iniciativas, realiza-se, no dia 1, às 20h00, a Marcha Corrida Carnaval, com partida da Cerca do Convento.

Já no dia 3, às 9h30, decorre o Passeio Domingueiro Carnaval de Loulé, com partida da Avenida José Costa Mealha, e, ainda, o Grande Prémio de Atletismo Carnaval de Loulé, também às 10h00, na Avenida José Costa Mealha.

 

Fotos: Pedro Lemos | Sul Informação

Comentários

pub
pub