IEFP reúne-se com hoteleiros para “sentir o pulso” ao emprego no setor do turismo

Escassez de mão de obra e «aspetos legislativos de grande importância» foram abordados na reunião

Debater os problemas de recursos humanos que o setor do Turismo enfrenta, no Algarve, e perceber quais são as perspetivas para 2019 neste setor, no que toca ao emprego, foi o grande objetivo de uma reunião que a delegação regional do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) manteve com os diretores de recursos humanos dos principais grupos hoteleiros da região.

Segundo o IEFP, o encontros serviu para «auscultar as perspetivas para 2019, mas, e fundamentalmente, organizar e concertar respostas a problemas com que o setor se debate, designadamente em matéria de escassez de mão de obra qualificada na região, captação e fixação de novos recursos oriundos de outros mercados, melhoria da qualidade do emprego e necessidades de formação contínua dos trabalhadores do setor».

Na reunião, que contou com a participação de mais de uma dezena de grupos hoteleiros, «foram ainda abordados aspetos legislativos de grande importância para a região, como seja os contratos intermitentes, o novo regime da Segurança Social para o trabalho dos jovens em período de férias escolares, bem como o programa FormAlgarve».

Outros temas que estiveram em cima da mesa foram «os problemas da rotação do pessoal e as dificuldades na fixação de jovens na atividade».

«Em matéria de formação contínua dos trabalhadores do setor, foi referida a importância da concertação da oferta formativa entre os diversos operadores, bem como a oferta formativa do IEFP durante a época baixa para os desempregados sazonais», acrescentou o instituto.

O encontro também serviu para avaliar os canais de comunicação entre o IEFP e as empresas do setor e discutir formas para uma melhoria desses canais.

Esta reunião setorial, organizada em parceria com a Região de Turismo do Algarve e com associações empresariais algarvias, foi a primeira de várias que o IEFP pretende realizar no corrente ano, «estando já em preparação a próxima com as entidades da Economia Social, que contará com a colaboração do Centro Distrital da Segurança Social».

Comentários

pub
pub