Conselho Municipal de Turismo de Faro abre portas aos privados

Números apresentados em reunião do Conselho Municipal de Turismo mostram que o setor cresceu em Faro nos últimos anos

Foto: Pablo Sabater | Sul Informação

O Conselho Municipal de Turismo (CMT) de Faro esteve reunido na passada quarta-feira, 30 de Janeiro, pela primeira vez, com a presença de parceiros privados, após as alterações introduzidas pelo Câmara de Faro no funcionamento deste órgão consultivo.

A partir de agora, para participar nas reuniões, os privados podem solicitar a sua adesão ao CMT, «bastando para tal desenvolver atividade ligada ao setor, no concelho».

Esta reunião, que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, foi também a primeira desde que a autarquia criou a Divisão de Promoção Turística, que tem como objetivo a promoção do concelho de Faro «junto dos mercados emissores e o melhoramento da articulação do Município com as entidades ligadas ao setor».

A reunião «contou com cerca de 50 participantes de entidades regionais de turismo, juntas de freguesia, Assembleia Municipal, forças de segurança, Universidade do Algarve, Aeroporto Internacional, associações do setor, agências de viagens, operadores turísticos, empresas marítimo-turísticas e animação turística, empresários de hotelaria, restauração e mais entidades públicas e privadas com responsabilidades em diversas áreas», adianta a Câmara de Faro.

Carlos Baía e Rogério Bacalhau

Carlos Baía, vereador responsável pelo pelouro do Turismo, apresentou a evolução turística recente do concelho e o Plano de Ação da Divisão de Promoção Turística para 2019.

O membro do executivo apresentou ainda a evolução do número de camas no concelho, de cerca de 1.700, em 2013, para, aproximadamente, 4.500 em 2018, distribuídas por todas as tipologias de alojamento.

Já o número de dormidas passou de cerca de 290.500, em 2013, para 520.000, em 2017. Já a taxa de ocupação, de acordo com os dados apresentados, também «subiu ao longo dos últimos anos tendo sido, em 2017, de 55%, situando-se acima dos valores do Algarve e Portugal».

Na reunião foi ainda apresentada a distribuição de alojamentos locais por freguesia, com Sé/ S.Pedro a liderar, com 55%, seguindo-se Santa Bárbara de Nexe, com 16%, Montenegro, com 14%, e Conceição/ Estoi, com 11%.

Alberto Mota Borges, diretor do Aeroporto de Faro, foi convidado da sessão e falou sobre a evolução verificada no movimento do aeroporto ao longo dos últimos anos e do perfil dos passageiros e companhias aéreas.

De acordo com o responsável, o número de passageiros desembarcados no aeroporto, nos últimos cinco anos, cresceu «de forma bastante acentuada» passando de 5.981.448, em 2013, para 8.685.571, em 2018.

Rogério Bacalhau, presidente da Câmara de Faro, encerrou os trabalhos «dando nota da importância do investimento público na qualificação do território, tornando-o mais atrativo para as empresas e para os visitantes», conta a autarquia.

O autarca «destacou projetos em curso, com o passeio marítimo, que irá ligar a parte exterior da doca de recreio ao Largo de S. Francisco, a Operação de Reabilitação Urbana (ORU), recentemente aprovada, para a zona ribeirinha de Faro, ou a elaboração dos Planos de Pormenor do Bom João e do Cais Comercial».

Para Rogério Bacalhau, todos estes investimentos «serão cruciais também para potenciar ainda mais os contributos de todos os agentes privados, que muito têm feito pela revitalização do concelho e aos quais estamos reconhecidos».

O CMT é um órgão de debate e reflexão sobre o Turismo em Faro, «com o objetivo de melhorar a oferta turística e identificar oportunidades de mercado e promoção do Turismo no concelho».

Comentários

pub
pub