CHUA integra Comissão Técnica Nacional para o Diagnóstico Pré-Natal

Comissão coordena, a nível nacional, a prestação de cuidados de diagnóstico pré-natal pelos serviços públicos de saúde

Fernando Guerreiro, diretor do Departamento de Ginecologia, Obstetrícia e Reprodução Humana do CHUA

O Centro Hospitalar Universitário do Algarve integra, pela primeira vez, a Comissão Técnica Nacional para o Diagnóstico Pré-Natal, com a recente nomeação do médico especialista em Ginecologia e Obstetrícia e atual diretor do Departamento de Ginecologia, Obstetrícia e Reprodução Humana da instituição, Fernando Guerreiro, para aquele organismo.

Esta comissão, composta por profissionais de relevo nesta área, tem como objetivo coordenar, a nível nacional, a prestação de cuidados de diagnóstico pré-natal pelos serviços públicos de saúde.

Para Fernando Guerreiro, esta nomeação representa o “reconhecimento do trabalho que tem vindo a ser realizado na região nesta área. O facto de, pela primeira vez os hospitais algarvios estarem representados nesta importante comissão, vai certamente contribuir para o desenvolvimento dos procedimentos de diagnóstico pré-natal, como é o caso do rastreio combinado do primeiro trimestre que já está implementado nas duas unidades hospitalares e que se pretende a curto-médio prazo poder abranger todas as grávidas da região algarvia”.

O rastreio combinado do primeiro trimestre consiste num conjunto de procedimentos não invasivos – ecografia obstétrica e análise bioquímica ao sangue – que permitem precocemente avaliar o grau de risco de trissomias (21, 18 e 13), sendo que apenas nos casos cujo resultado revele um risco elevado são realizados exames invasivos, como é o caso da biópsia das vilosidades coriónicas e da amniocentese.

Constituída pelo Despacho n.º 5411/97, da ministra da Saúde, de 8 de Julho, publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 180, de 6 de Agosto, a Comissão Técnica Nacional para o Diagnóstico Pré-Natal funciona junto da Direção-Geral da Saúde, que assegura o necessário apoio logístico e administrativo, através da Divisão de Saúde Sexual, Reprodutiva, Infantil e Juvenil. Os especialistas que integram esta Comissão são designados por um período de dois anos, renovável, por igual período.

 

 

Comentários

pub
pub