Águas do Algarve investe 5 milhões para tratar mais água no Barlavento

Obra permitirá tratar mais água para consumo humano em menos tempo

A Águas do Algarve vai investir perto de 5 milhões de euros na Estação de Tratamento de Água de Alcantarilha, com o objetivo de aumentar a sua capacidade.

«O que se pretende é aumentar a capacidade de tratamento da água. No Verão, temos a necessidade de um caudal maior e, por vezes, a necessidade de fazer a junção do reagente de sulfato de alumínio, para que a água possa ser tratada convenientemente, nem sempre permitia que esse composto fosse totalmente afastado, o que levava à rejeição de alguns lotes», explicou Joaquim Peres, presidente da Águas do Algarve, a 28 de Novembro, dia em que foi assinado o contrato para a concretização desta obra.

Com a intervenção que será feita na ETA de Alcantarilha, aumentar-se-á a capacidade de tratamento em 1200 litros por segundo (L/s), através da introdução de duas novas linhas de flotação, «a jusante das etapas de pré-oxidação com ozono e de coagulação e floculação».

Isto permitirá aumentar a capacidade de tratamentos dos atuais 1800 L/s para um máximo de 3 mil. Assim, será possível responder melhor às necessidades da população servida pela ETA de Alcantarilha, que tem de estar preparada para enfrentar fortes flutuações populacionais, uma vez que serve os concelhos de Albufeira, Aljezur, Lagoa, Lagos, Monchique, Portimão, Loulé (Oeste e Norte), Silves e Vila do Bispo – caso seja necessário, também pode abastecer os municípios de Faro, Olhão e Tavira, através da Estação Elevatória Reversível.

Na prática, isto significa que a Águas do Algarve vai «poder tratar uma maior quantidade de água, em menos tempo. Numa região que, no Verão, triplica a sua população, são necessárias estas soluções de tratamento», segundo Joaquim Peres.

Esta intervenção terá um custo total de 4,8 milhões de euros, 2,4 dos quais (50%) serão garantidos pela União Europeia, ao abrigo do Plano Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR). O seu prazo de execução é de cerca de um ano.

A ETA de Alcantarilha trata água superficial proveniente da albufeira de Odelouca (desde 2012) e água subterrânea proveniente das captações de Vale da Vila e de Benaciate. A adução de água superficial à ETA de Alcantarilha efetua-se graviticamente, através de uma conduta com 2,5 metros de diâmetro e cerca de 12 quilómetros de extensão desde o túnel de Odelouca.

Esta ETA situa-se a cerca de 10 quilómetros de Silves e a 12 do Túnel Odelouca, junto à localidade de Alcantarilha – Gare. A sua construção iniciou-se em Outubro de 1998 e terminou no final de 1999.

Comentários

pub
pub