União de Freguesias de Moncarapacho e Fuzeta queixa-se de «situação caótica» nos semáforos da EN125

Autarquia queixa-se de falta de manutenção dos semáforos, que põe em causa a segurança dos utentes

A União de Freguesias de Moncarapacho e Fuzeta está preocupada com o estado de degradação dos semáforos na EN125, nos limites da freguesia, e enviou, em Novembro, um relatório com as anomalias encontradas à Infraestruturas de Portugal. No entanto, a situação, que a autarquia considera «caótica» não foi resolvida e «há locais em que até piorou».

Há casos de semáforos descoordenados, de luzes verdes que não acendem, ou de semáforos de controlo de velocidade que não funcionam.

Segundo a autarquia, «têm sido recorrentes as reclamações que esta União de Freguesias de Moncarapacho e Fuzeta tem efetuado junto da IP», mas
«a todas essas (e quaisquer outras) reclamações, essa entidade – que é responsável pela manutenção da EN 125 – limita-se a responder com inquéritos de qualidade sobre os seus serviços».

Além disso, segundo a União de Freguesias, a IP diz que a Rotas do Algarve Litoral «se tem recusado a assumir as suas responsabilidades nas vias sob sua jurisdição, alegando estar em processo negocial de Contrato de Subconcessão».

Para a autarquia, «neste jogo do empurra, quem sai prejudicado são os utentes da EN125, que têm a sua segurança rodoviária em causa».

Uma vez que não tem «poder de intervenção, a União de Freguesias de Moncarapacho e Fuzeta limita-se a monitorizar e reportar à IP todas as situações anómalas que deteta, ou para as quais é alertada, esperando, em vão, que as mesmas sejam solucionadas».

«A degradação na sinalética luminosa ao longo da via no troço que atravessa a nossa freguesia é bastante visível, estando praticamente todos os semáforos com anomalias», conclui a União de Freguesias.

Comentários

pub
pub