Portimonense nem precisou de marcar para vencer o Benfica por 2-0

Equipa algarvia foi melhor e alcançou vitória justa

Dois autogolos bastaram para o Portimonense vencer o Benfica por 2-0, em jogo da 15ª jornada da I Liga, disputado esta quarta-feira, 2 de Janeiro. Os algarvios, que rubricaram uma grande exibição, ganharam, pela primeira vez na sua história, aos encarnados.

Nenhum dos treinadores fez grandes alterações nos 11 iniciais e Portimonense e Benfica foram a jogo na máxima força. Não foi de estranhar, por isso, que a partida tivesse começado a um ritmo frenético, com ascendente para os algarvios.

Aos 11 minutos, chegou o primeiro momento do jogo. Manafá correu pela esquerda, fintou um adversário e cruzou para a área. Rúben Dias, desatento, cortou a bola para dentro da baliza, fazendo o 1-0 para o Portimonense, com um autogolo.

O Benfica não conseguia impor o seu jogo e somava passes falhados. Já o Portimonense, mesmo depois do golo, mostrava que tinha a lição bem estudada, tanto a nível ofensivo, como defensivo.

Ainda assim, a equipa de Rui Vitória teve uma boa oportunidade para marcar, aos 18 minutos, por intermédio de Jonas. Dentro da área, o brasileiro até fintou um defesa, mas acabou a rematar sem perigo.

Na outra baliza, foi Jackson a ter o 2-0 na cabeça, após receber um cruzamento de Paulinho, mas atirou fraco para defesa de Vlachodimos (19′).

O Portimonense, a partir do meio da primeira parte, tirou um pouco o pé do acelerador, mas a verdade é que o Benfica também não conseguiu levar verdadeiro perigo à baliza de Ricardo Ferreira.

E, aos 38 minutos, chegou um novo momento de festa nas bancadas do Estádio Municipal de Portimão. Jackson recebeu uma bola isolado, fez o chapéu ao guarda-redes do Benfica e, quando a bola parecia que ia entrar, foi Jardel, defesa encarnado, a cabecear para o fundo das redes. Estava feito o 2-0 e… com dois autogolos.

Ao intervalo, Rui Vitória viu-se obrigado a mexer na equipa: saíram Gedson e Cervi, para entradas de Salvio e Seferovic. O Benfica precisava de mostrar muito mais para ganhar o jogo, mas foi o Portimonense a ter a primeira chance de golo (54′).

Paulinho combinou com Manafá, perto da área, mas o defesa direito, já só com o guarda-redes pela frente, rematou para defesa de Vlachodimos.

O Benfica tentou ir à procura do golo, carregou no ataque, mas, mais uma vez, tal como na primeira parte, sem criar grande perigo. Esse só apareceu aos 68 minutos e na baliza do Benfica. Paulinho, descaído para a direita, rematou em arco e obrigou o guarda-redes encarnado a fazer uma grande defesa.

Se o panorama já estava complicado para os da Luz, pior ficou aos 72 minutos. Após consultar o vídeo-árbitro, Manuel Mota expulsou, com vermelho direto, Jonas devido a falta sobre Ricardo Ferreira. O guarda-redes dos algarvios ficou a sangrar, na sequência do lance, mas não necessitou de ser substituído.

Até ao final do encontro, o Portimonense limitou-se a gerir a preciosa vantagem, alcançando a vitória por 2-0. Os algarvios entraram para a história e, esta época, já venceram Benfica e Sporting (4-2), em Portimão.

A equipa de António Folha ocupa agora, à condição, o 7º lugar na I Liga, com 23 pontos conquistados.

Comentários

pub
pub