Júlio Resende é a Personalidade do Ano a Sul

«Júlio Resende conseguiu impor a sua marca num país que ainda vive profundamente centralizado»

Júlio Resende, pianista e compositor algarvio, é a Personalidade do Ano escolhida pelos membros do blogue «Lugar ao Sul».

Resende é, para os cronistas do blogue, uma «personalidade ímpar que, em 2018, cimentou a sua posição como um dos grandes músicos da nova geração da cena cultural nacional».

Esta é a segunda vez consecutiva que o blogue atribui esta distinção de Personalidade do Ano. Em 2018, a personalidade distinguida foi João Guerreiro, antigo reitor da Universidade do Algarve e presidente da Comissão Técnica Independente responsável pelo apuramento das causas das tragédias dos incêndios de 2017.

«Participou no Festival da Canção como compositor da música que Emmy Curl interpretou e teve a oportunidade de atuar, com Salvador Sobral, para uma audiência de milhões de pessoas em todo o mundo ao lado de um dos seus ídolos, Caetano Veloso, na final do Festival Eurovisão da Canção em Lisboa», escreve o Lugar ao Sul.

O palco tem chamado insistentemente por Júlio Resende, continua o site de opinião. «Seja a solo, seja em dueto com Salvador Sobra, seja através do projecto comum de ambos, a banda Alexander Search, foram muitos os concertos que o apresentaram definitivamente ao país em 2018».

Ainda em 2018, Júlio Resende volta a editar um novo álbum, “Cinderella Cyborg”. O Jornal Público escreve que este “é um nome em que o pianista pretende reflectir não um choque, mas um encontro entre aquilo que há de mais inocente e poético – na vida e na música –, e o lado mais maquinal e frio associado à tecnologia”.

Este seu novo álbum foi nomeado como melhor álbum português de 2018 pela plataforma Altamont e ficou ainda considerado entre os melhores discos pela equipa do Observador.

Os últimos anos têm sido intensos para Júlio Resende. Em 2007, grava o seu primeiro álbum – “Da Alma” – através de prestigiada editora de Jazz, Clean Feed, tornando-se o mais jovem músico português a editar um disco para esta editora, enquanto líder. Segue-se, em 2009, “Assim Falava Jazzatustra”, álbum que viria a ser considerado um dos melhores discos do ano pela crítica especializada. Em 2011 surge “You Taste Like a Song”, um disco em trio, com a participação de grandes músicos tendo sido classificado com 5 Estrelas pela revista TimeOut.

Em Outubro de 2013, lança “Amália por Júlio Resende”, o seu primeiro disco a solo, onde revisita algumas canções do repertório de Amália Rodrigues, iluminado pela memória e pela voz da Diva, num dueto (im)possível no tema “Medo”.

«Este trabalho mereceu a melhor atenção por parte da crítica nacional e internacional. Da prestigiada Clássica francesa, onde recebeu Choc Disc 5 estrelas, à célebre Monocle, o consenso foi claro: este é um disco que marca e “está ao nível do que de melhor se faz pelo vasto Mundo”», acrescenta o Lugar ao Sul.

Seguem-se “Fado & Further” e “Amália por Júlio Resende”. Pelo caminho, ainda cria “Poesia Homónima” com o psiquiatra Júlio Machado Vaz, onde apresentam poemas de Eugénio de Andrade e Gonçalo M. Tavares.

Importante é também o cuidado que tem na escolha das vozes que acompanha ao piano, onde se destacam, a título de exemplo, além de Salvador Sobral, Elisa Rodrigues e Sílvia Perez Cruz, com quem também já gravou.

Mas Júlio Resende não se esgota na música. Assina uma coluna de opinião na revista Visão, onde aborda temas diversos. «O também licenciado em Filosofia é, pois, alguém que reflete regularmente sobre si e sobre os outros. Quando questionado recentemente pela revista Blitz sobre a forma como a Filosofia o acompanha, afirmou que o “obriga a pensar em conceitos interessantes. E a trabalhá-los bem. E tento trazer essas reflexões para o mundo musical, ainda que a música seja outra coisa, que vem depois da reflexão. A reflexão faz-se para trás, a vida faz-se para a frente, como se costuma dizer em Filosofia. E a música também”».

Júlio Resende é um «profissional inspirador» e por isso os autores do site “Lugar ao Sul” entenderam distingui-lo.

«Em 2018, Júlio Resende conseguiu impor a sua marca num país que ainda vive profundamente centralizado. Além disso entendemos que a sua forma de olhar o mundo vai ao encontro do que temos vindo a defender no Lugar ao Sul: necessitamos de mais e melhor opinião», acrescentam os autores do blogue.

Sobre essa ideia, Júlio Resende, tem uma frase lapidar: “As pessoas que digam coisas! Mas tentem pensá-las antes de dizer, já não seria mau”.

A data e local da cerimónia pública de atribuição desta distinção a Júlio Resende serão anunciadas em breve.

O Lugar ao Sul é um site/blogue que foi lançado em Outubro de 2016 por um grupo de seis pessoas de áreas profissionais distintas, com experiências académicas diferentes e com diversos posicionamentos políticos e partidários.

A ideia foi criar um espaço de reflexão sobre os temas que preocupam “o sul”, procurando promover o debate sobre temáticas da atualidade numa lógica de pluralismo de opinião.

Adicionalmente, existe no seio desta criação uma grande vontade de contribuir para afirmação do Algarve e do “sul” em todas as suas vertentes.

O grupo, entretanto, cresceu e é atualmente formado por vinte pessoas. A saber: Pedro Pimpão, Luís Serra Coelho, Bruno Inácio, Dália Paulo, Gonçalo Duarte Gomes, Filomena Sintra, João Fernandes, Sara Luz, André Botelheiro, Cristiano Cabrita, Joana Cabrita, Hugo Barros, Ana Gonçalves, Anabela Afonso, Luísa Salazar, Patrícia Palma, Paulo Reis, Sara Fernandes, Vanessa Nascimento e Dinis Faísca.

Por este “Lugar”, já passaram também diversos convidados como a escritora Lídia Jorge, Fernando Santos Pessoa, António Branco, entre outros.

 

Comentários

pub
pub