Albufeira vai instalar este ano videovigilância nas suas «zonas mais problemáticas»

José Carlos Rolo invoca o aumento da segurança de residentes e turistas para justificar a medida

Câmaras de videovigilância vão ser instaladas, este ano, nas «zonas mais problemáticas» do concelho de Albufeira. O anúncio foi feita na semana passada pelo presidente da Câmara José Carlos Rolo.

Na já tradicional cerimónia de apresentação de cumprimentos e mensagem de Ano Novo, o autarca albufeirense adiantou que o objetivo é «dotar residentes e turistas de maior segurança».

Aos jornalistas, o presidente José Carlos Rolo explicou que as câmaras de videovigilância serão instaladas «nas zonas mais problemáticas, que são notícia pela negativa», uma situação que o Município pretende alterar.

As ruas dos bares na Praia da Oura e da própria cidade de Albufeira serão, assim, as zonas onde o sistema deverá avançar primeiro, ao longo do novo ano de 2019.

No entanto, o autarca lamentou que o assunto esteja encalhado no Ministério da Administração Interna. «Está a ser um pouco moroso», lamentou.

A videovigilância, acrescentou, «é muito útil, desde que se perceba para que se destina», aludindo aos receios de perda de privacidade.

A instalação de videovigilância passa por uma autorização prévia da Comissão Nacional de Proteção de Dados.

No entanto, é considerado que a instalação de câmaras na via pública, a cujas imagens só terão acessos as autoridades – PSP ou GNR, conforme as zonas – tem efeito dissuasor e preventivo, tornando as zonas onde são instaladas mais seguras e atrativas para moradores, turistas e potenciais investidores.

As notícias de desacatos nas áreas de diversão noturna do concelho de Albufeira têm sido frequentes. O caso mais grave aconteceu em Junho de 2017, quando jovens britânicos em férias provocaram batalhas campais e prejuízos avultados, em especial na Praia da Oura.

Segundo o Correio da Manhã, aconteceu  nessa altura «uma batalha campal, protagonizada por cerca de 600 turistas ingleses, entre os 19 e os 22 anos».

«Houve agressões e garrafas foram atiradas pelos turistas contra a GNR de Albufeira, que entretanto tinha sido alertada e que teve de usar a força», acrescentava o jornal.

A GNR disparou mesmo balas de borracha para o ar e «pelo menos dois rapazes, de 20 e 21 anos, e uma rapariga de 20, ficaram feridos e foram assistidos pelos bombeiros».

As imagens em vídeo foram partilhadas nas redes sociais e chegaram aos jornais ingleses que, citando turistas britânicos, criticaram «o excesso de agressividade» da polícia portuguesa. É a repetição de cenas destas, «prejudiciais para a imagem turística de Albufeira», que o presidente da Câmara José Carlos Rolo pretende evitar.

Comentários

pub
pub