Turismo de natureza no Algarve esteve em debate no Espaço Guadiana

Osvaldo Gonçalves e João Fernandes, presidentes da Câmara de Alcoutim e da Região de Turismo do Algarve, foram os oradores de abertura

A potencialidade do Algarve para o turismo de natureza foi um dos motes de um fórum que se realizou esta sexta-feira, 30 de Novembro, no Espaço Guadiana, em Alcoutim. 

A Odiana, em conjunto com o Município de Alcoutim, organizou o “Fórum de Caminhadas e Turismo de Natureza”, uma iniciativa que reuniu cerca de 70 participantes para debater este nicho turístico, «cujo potencial pode garantir a atratividade turística da região durante todo o ano», diz aquela associação.

A abertura do Fórum foi realizada por Osvaldo Gonçalves, presidente da Câmara de Alcoutim, que falou na crescente aposta do Município neste segmento, e por João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), que se congratulou com as diversas iniciativas de que o Algarve já dispõe.

João Fernandes felicitou o Município de Alcoutim por eventos como o “Festival de Caminhadas” e o “Festival do Contrabando”, referindo que este último «consegue juntar cerca de 20 mil pessoas e unir Portugal e Espanha».

O presidente da RTA apelou ainda aos vários atores locais, regionais e nacionais, no sentido de encarar o Turismo de Natureza como um claro exemplo de combate à sazonalidade da região, salientando que «há que ultrapassar a mentalidade de alguns velhos do Restelo».

A iniciativa contou com presenças de entidades, empresas e stakeholders nesta matéria. Cláudia Ruivinho, da RTA, apresentou o programa Cycling & Walking Algarve, destacando a sua crescente evolução e garantindo estarem reunidas as condições base para este segmento.

A Cooperativa QRER, através de João Ministro, apresentou a “Algarve Walking Season”, um conjunto de três festivais de caminhadas, assegurando «que há espaço para o surgimento de mais».

Para 2019, avançou desafios como «caminhadas inclusivas, novas temáticas, maior valorização do património e geminações com festivais de outros continentes».

Patrícia Malheiro, da Biosphere, abordou diferentes paradigmas, alertando que devem ser criadas ofertas qualificadas e desafiantes, mas sempre à medida do segmento.

Créditos: Depositphotos

«Genuinidade, autenticidade e o despertar dos sentidos são os parâmetros que garantem a experiência que o atual turista procura», garantiu a oradora.

A parte da tarde do “Fórum” foi consignada aos exemplos mais práticos de turismo de natureza.

Juan Carlos Alvarez apresentou o “Tenerife Walking Festival” e comprovou que a ilha, famosa pelo binómio sol e praia, «pode e deve ser mais que isso» porque «há espaço para tudo».

José Rabasa, da empresa ITINERANTUR, em Castellon, Espanha, abordou os conceitos de slow tourism, os princípios do turismo ativo e responsável, as caminhadas interpretativas e programas de educação ambiental aliados às caminhadas.

Para terminar, Sílvia Madeira falou da Odiana enquanto entidade responsável pela criação, no Baixo Guadiana, de 135 quilómetros de percursos pedestres de pequena rota e, mais recentemente, da Grande Rota do Guadiana, destacando o conjunto de ações promocionais que está a ser preparado.

Este sábado, 1 de Dezembro, a iniciativa continuou, mas em evento fechado, destinada apenas a operadores turísticos, jornalistas e bloggers convidados, realizando uma visita temática a Alcoutim com passeio de barco pelo Guadiana, caminhada na Grande Rota do Guadiana (GR15), uma “Tarde com o Pastor”, almoço tradicional e observação astronómica.

O objetivo deste fórum, conclui a Odiana, «foi contribuir para o desenvolvimento sustentado do Turismo de Natureza no Baixo Guadiana, sobretudo no que concerne ao interior do território».

«A meta foi conhecer e trocar experiências de forma a criar, melhorar e consolidar a oferta, tornando a região mais competitiva e combatendo a sazonalidade. Este evento veio a demonstrar a importância crescente do Turismo de Natureza no Baixo Guadiana, aliando as potencialidades naturais ao património cultural, histórico, ao desporto e ao bem-estar, bem como a todas as atividades empresariais que exploram o turismo sustentável neste outro Algarve».

O Fórum surgiu no âmbito do projeto Promoturis – Plano de Promoção Turística e Cultural – uma iniciativa Odiana, financiada pelo CRESC Algarve 2020.

Comentários

pub
pub