Pescadores tiveram de nadar para terra quando barco se virou junto à praia do Garrão

Os dois homens ficaram a flutuar na zona de rebentação depois de a sua embarcação ter sido destruída por uma onda

Dois pescadores tiveram de nadar para a praia, depois da sua embarcação ter sido virada  e destruída por uma onda, junto à praia do Garrão poente, em Loulé. Os homens, de 32 e 35 anos, «foram surpreendidos por uma onda maior que virou e afundou a embarcação, tendo ambos ficado a flutuar, uma vez que envergavam os coletes de salvação aquando do acidente», segundo a Autoridade Marítima Nacional (AMN).

Na manhã de terça-feira, a Polícia Marítima recebeu o alerta do naufrágio de uma embarcação, «encontrando-se dois homens a flutuar na zona de rebentação». O salva-vidas de Olhão foi logo acionado, bem como outros meios náuticos da Polícia Marítima de Faro, mas acabaram por não ser necessários, já que, pouco tempo depois, chegou a informação de que os pescadores já haviam nadado para terra.

As vítimas, «que se encontravam em faina de pesca, na captura de conquilha», foram auxiliados pela Polícia Marítima de Faro já em terra e observados pela equipa de emergência médica, «não sendo necessária assistência hospitalar».

Já a embarcação, que tinha cerca de sete metros, «partiu-se, tornando inviável a sua recuperação», estando já em curso a remoção dos destroços.

A AMN aproveitou para salientar a importância do «uso permanente dos coletes de salvação», que, neste caso, poderá ter sido determinante para evitar consequências mais graves para os dois pescadores.

Comentários

pub
pub