Lagos ajuda a Orquestra de Jazz do Algarve a profissionalizar a sua estrutura

Município de Lagos vai contribuir com apoio financeiro

A Orquestra de Jazz do Algarve quer profissionalizar a sua estrutura, uma necessidade que foi apresentada junto da Comunidade Intermunicipal do Algarve (CIM-AMAL) e mereceu a atenção dos representantes dos vários municípios.

Como contributo para esse fim, a Câmara de Lagos aprovou, na sua reunião de 5 de Dezembro, a celebração de um protocolo com a OJA – Associação Orquestra de Jazz do Algarve, que prevê a atribuição de um subsídio anual de 20 mil euros àquela entidade.

Em contrapartida pelo apoio disponibilizado, a autarquia lacobrigense receberá todos os anos a realização de dois concertos de formação completa e dois concertos de pequenas formações acessórias, a integrar na programação cultural do concelho.

«O Município volta, assim, a acarinhar, de forma financeira mais regular e expressiva, uma associação cultural que teve a sua génese em Lagos, em 2004, no seio do Festival Lagos Jazz, uma iniciativa que se realizou durante 10 anos, sempre com o apoio da autarquia», explica a Câmara em nota de imprensa.

Além dos concertos, a OJA dinamizou igualmente as vertentes do Ensino e da Produção, trabalho que mereceu o reconhecimento do Ministério da Cultura com a atribuição da declaração de Elevado Interesse Cultural.

Desde 2006, a OJA tem sido contemplada com apoio financeiro por parte da Direção Geral das Artes (DGArtes), que se revela «insuficiente para fazer face aos custos fixos (pessoal; veículos para transporte; equipamento de som e luzes; instrumentos musicais, entre outros), uma vez que o montante dos apoios atribuídos são em função do enquadramento da OJA como estrutura independente, por não ter enquadramento legal no regime de apoio às Orquestra Regionais (ditas Clássicas)».

O protocolo a celebrar e o apoio a disponibilizar pelo Município visam a consolidação do trabalho que a OJA tem desenvolvido no plano cultural, «o qual contribui para a valorização da região como destino turístico», explica a autarquia de Lagos.

Subjacentes estão também, entre outros, os seguintes objetivos: promoção da literacia cultural; dinamização da oferta de ensino da música e do jazz; valorização dos músicos algarvios e residentes no Algarve ou no concelho e fixação de ativos qualificados; criação de repertórios originais, contribuindo para o trabalho autoral português; e criação de eventos específicos para o concelho, alargando o espectro de programação.

 

Orquestra de Jazz do Algarve

Comentários

pub
pub