Já foram aprovados apoios a 131 agricultores afetados pelo incêndio

O período de candidaturas para apoios a agricultores afetados pelo incêndio terminou a 30 de Novembro

Em dezoitos dias, o Governo aprovou 131 das 286 candidaturas feitas por agricultores a apoios à reposição da capacidade produtiva, após o grande incêndio do Verão.

O número foi avançado esta terça-feira pelo secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, durante uma visita a Silves, para assistir às primeiras ações de estabilização de emergência pós-incêndio.

O membro do Governo salientou a celeridade com que a avaliação das candidaturas estão a ser feitas, recordando que o período de candidaturas terminou a 30 de Novembro. Miguel Freitas espera, agora, que os demais pedidos de ajuda sejam processados «o mais depressa possível».

Estes apoios começam a chegar cerca de quatro meses depois do incêndio que lavrou na primeira semana de Agosto em Monchique, Silves, Portimão e Odemira. O fogo afetou perto de 400 agricultores, a maioria dos quais apresentou candidaturas.

Quanto ao tempo que decorreu desde a catástrofe até à aprovação dos primeiros apoios, o secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural lembrou que o prazo limite para apresentação de pedidos era, originalmente, 30 de Setembro.

«Mas, a pedido das Câmaras Municipais e das associações de produtores, esse prazo foi adiado por duas vezes», fixando-se, finalmente, no final do mês passado.

Das candidaturas aprovadas «a esmagadora maioria são no concelho de Monchique», adiantou Miguel Freitas.

Aqueles que já viram as suas candidaturas aprovadas «tem agora a certeza de que serão ressarcidos dos investimentos que fizerem, embora já os pudessem ter feito, se assim o desejassem, pois seriam compensados», acrescentou o membro do Governo.

Comentários

pub
pub