Há dois atletas algarvios campeões da Europa de andebol em cadeira de rodas

Título foi conquistado, em Leiria, após a vitória por 20-7 frente à Croácia

Rui Rodrigues e Serghey Mitrofan são atletas da equipa algarvia do Sporting/Casa do Povo de Messines/AMAL e sagraram-se este domingo, 2 de Dezembro, campeões da Europa de andebol em cadeiras de rodas. Na final, Portugal bateu a Croácia e alcançou um feito «extraordinário» que enche a região «de orgulho». 

Para Rui Rodrigues, esta é uma sensação «única». «Até me faltam as palavras para a descrever», confessa, em conversa com o Sul Informação.

O algarvio, que é paraplégico, sagrou-se campeão europeu logo na estreia numa grande competição de andebol em cadeira de rodas. «Fomos formando uma pequena família, com um grande espírito de união e convívio. Acho que esse foi um dos segredos para a nossa vitória», conta.

Rui Rodrigues

Frente à Croácia, no derradeiro jogo, Portugal, orientado por Danilo Ferreira, ganhou por 20-7, numa partida disputada em Leiria. Ao intervalo, a equipa mista portuguesa já vencia por 10-2.

«Muitos dos meus amigos assistiram ao jogo pela Internet. Deram-me muita força e, agora, as mensagens de parabéns sucedem-se. É bom sentir esse apoio e carinho», confessa o atleta.

Um dos esteios de Rui Rodrigues na seleção foi o colega de equipa Serghei Mitrofan, um esloveno a viver no Algarve há vários anos e que também joga no Sporting/Casa do Povo de Messines/AMAL.

«Ele já tinha sido convocado para outros Europeus e deu-me muita força. Eu até já nem contava ser selecionado, mas fui e dei tudo por tudo», relata Rui Rodrigues ao nosso jornal.

Quem também acompanhou de perto a prestação dos dois algarvios foi Daniela Faria, treinadora do Sporting/Casa do Povo de Messines/AMAL, que, na seleção, desempenha as funções de fisioterapeuta.

«Foi uma experiência vivida de fora, mas de forma muito intensa. Vivi tudo muito de perto porque tenho ajudado também o Rui e o Serghey. Este foi o terceiro ano em que competimos no Europeu. Em 2015 e 2016 perdemos na final, mas, este ano, conseguimos finalmente a vitória e logo em casa», diz ao Sul Informação.

Este título inédito de Portugal (foi a primeira vez que se sagrou campeão europeu na modalidade) teve, assim, uma forte contribuição algarvia e da Casa do Povo de São Bartolomeu de Messines, em particular.

José Carlos Araújo, presidente desta instituição, não esconde o orgulho nos seus atletas. «Foi uma grande notícia. Estamos todos muito felizes, tanto as pessoas que participam no nosso projeto, como a comunidade em geral», diz ao Sul Informação.

Este projeto de andebol em cadeira de rodas é, para o presidente da Casa do Povo de Messines, uma «referência no desporto adaptado no Algarve», algo potenciado também pela «parceria com o Sporting que nos dá alguma autonomia financeira».

Já a AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve ajuda com questões logísticas, nomeadamente o transporte para os jogos que são fora da região.

Certo é que este «projeto desportivo e social» tem dado os seus frutos, como comprova a conquista da Taça de Portugal de andebol em cadeira de rodas alcançada na época passada de 2017/2018.

A Associação de Andebol do Algarve também é um dos parceiros e João Estrela, presidente do organismo, recebeu com «grande alegria» a notícia da vitória da seleção no Campeonato Europeu.

«Estamos mesmo muito contentes. Não basta falar de integração. É preciso colocar isso em prática e esse é o objetivo deste projeto do Sporting/Casa do Povo de Messines/AMAL. Pena é que não tenhamos muitos apoios de entidades privadas», conclui, ao Sul Informação.

Comentários

pub
pub