Tatanka «entusiasmado» por subir ao palco com Ana Newton em Loulé

O encontro musical entre Tatanka e Ana Newton acontece hoje, às 17h00

«Muito entusiasmado». É desta forma que Tatanka, dos The Black Mamba, se sente por se juntar à algarvia Ana Newton num concerto a dois, hoje, domingo, às 17h00, no Cine-Teatro Louletano.

O músico português, que até tem uma costela louletana, ganha da sua avó, volta a atuar nesta cidade, onde já esteve para o Festival MED, e diz-se feliz por ter companhia. «Eu sou apologista das parcerias e de que os artistas se devem juntar para trocar ideias, canções, cantarem uns com os outros. Quando isso acontece, enriquecem-se mutuamente. Acho a iniciativa louvável e fiquei logo entusiasmado para a levar avante» revela Pedro Taborda (Tatanka) ao MusicáliaSul Informação.

Tatanka e Ana Newton atuam no Cineteatro Louletano no âmbito do ciclo “O Longe é Aqui”, que promove encontros inéditos entre talentos locais louletanos e reconhecidas figuras do panorama musical nacional.

Os músicos não se conheciam e, após uma preparação à distância, só esta semana aconteceu o primeiro ensaio juntos. Nada que preocupe Tatanka, já que, diz, «a Ana é uma cantora com muita experiência. Trocámos  ideias sobre as músicas que vamos tocar juntos, porque 80% do concerto é mesmo em conjunto».

Para já, apenas são conhecidas duas músicas da carreira a solo de Takanta – “Alfaiate“ e “Alma Despida”-, que assumidamente fazem parte do concerto. Também é já certo que a canção “Darkest Hour”, originalmente cantada com o António Zabujo, fará parte do alinhamento, por «se tratar de um fado que se enquadra mais no reportório de Tatanka que de Black Mamba». O músico revela, ainda, que «no concerto irão ser revisitados alguns clássicos com a Ana».

“Alfaite” é um tema de maior sucesso a solo de Tatanka e «fala de amor e como as pessoas às vezes têm uma química umas com as outras e até parece que se conheciam noutra vida, daí o “… eu fui noutra vida um pedaço de ti…”», revela o músico.

 

Natural de Sintra, Tatanka tornou-se conhecido como o vocalista dos The Black Mamba. Em 2016, inicia a carreira a solo, num registo mais pessoal e de regresso às suas raízes e confessa que ficou surpreendido com a reação do público. «Lancei as duas músicas de uma forma despretensiosa, para ver no que dá. Sabia que estavam bem feitas, aqueles a quem as mostrei gostaram bastante, mas quando passam para as rádios começa a haver um julgamento muito mais imparcial. Acabaram por ter muito air play, as pessoas gostaram e isso catapultou-se no espaço artístico nacional», considerou.

Já Ana Newton é farense, mas reside há alguns anos no concelho de Loulé. Para ela, a música é quase uma herança de família, já que é filha e neta de artistas que se dedicavam a esta arte. Iniciou o seu percurso musical académico aos 7 anos no Conservatório Maria Campina, em Faro. Na adolescência, estreou-se como cantora autodidata e, mais tarde, abraçou o mundo do Jazz e da Bossa Nova, com o quarteto The Jazztrix e com o seu próprio projeto Ana Newton Quartet.

Os bilhetes para este concerto custam 12 euros para o público em geral e 10 euros, para maiores de 65 e menores de 30 anos.

 

A entrevista a Tatanka, pode ser ouvida na totalidade no programa Musicália #84.

 

Comentários

pub
pub