Orçamento de São Brás para 2019 tem «grande fatia» para a regeneração urbana

A requalificação do quarteirão sul da Avenida da Liberdade, 3ª fase do projeto de requalificação do Largo de São Sebastião e ruas adjacentes é uma das principais obras em carteira

Foto: Fabiana Saboya|Sul Informação

A Câmara de São Brás de Alportel aprovou um orçamento de perto de 13 milhões de euros para o próximo ano. A renovação urbana, o aumento da mobilidade e da acessibilidade para todos, a valorização da zona serrana e o turismo são algumas das prioridades eleitas pelo executivo para 2019.

O Orçamento Municipal são-brasense tem «como princípios base uma gestão equilibrada e rigorosa, assente num cuidado planeamento dos investimentos para a execução da estratégia de desenvolvimento do município».

Ao mesmo tempo, «garante o alinhamento com o calendário do Quadro Comunitário em curso, fazendo bom uso das oportunidades do Programa de Financiamento Portugal 2020 e uma excelente otimização do erário público», segundo a Câmara de São Brás.

Um dos principais eixos da estratégia delineada pela Câmara para o ano que se avizinha, é a renovação urbana, nomeadamente do centro histórico, área em que será investido «uma grande fatia do Orçamento Municipal».

A autarquia prevê avançar para a requalificação do quarteirão sul da Avenida da Liberdade, 3ª fase do projeto de requalificação do Largo de São Sebastião e ruas adjacentes, empreitada que custará mais de 200 mil euros.

«O grande projeto de renovação urbano do centro da vila pretende ser a nova fase desta estratégia de renovação urbana, que este orçamento contempla com uma verba de 140 mil euros, para avanço deste projeto global», segundo a autarquia.

O município de São Brás de Alportel também pretende apostar na valorização da zona serrana, «para combate à desertificação e apoio à fixação de população».

Neste campo, está prevista «a criação do Núcleo Interpretativo da Serra do Caldeirão, com um custo estimado em 60 mil euros, a manutenção da redução de 30% do IMI para esta área do território e todo um conjunto de investimentos ao nível da melhoria das vias de comunicação e das infraestruturas».

Para garantir o aumento da mobilidade e a acessibilidade, a autarquia pretende avançar, no ano que vem, para a execução do novo Terminal Rodoviário Circular. Também são contemplados no orçamento a criação de um sistema de bicicletas de utilização partilhada e a ampliação da rede de circuitos pedocicláveis.

Ainda no que à mobilidade diz respeito, a Câmara anunciou «um projeto de turismo acessível para o núcleo antigo da vila e a requalificação do espaço das Piscinas e Jardim da Verbena».

No campo do desenvolvimento económico, a Câmara de São Brás de Alportel vai lançar o projeto de requalificação do Quarteirão 4 Olhos e reconversão em Centro de Incubação de empresas e serviços.

Também será mantida a aposta em eventos, desde logo na Feira da Serra, mas também na Noite Prata, no Stock Out e na Noite Vermelha.

Outro eixo prioritário é o desenvolvimento da atividade turística no concelho.

Para isso, a Câmara prevê «a reconversão do antigo Lagar de Azeite em Oficina das Artes; a criação do Miradouro Panorâmico do Centro Histórico no antigo depósito de água para criação da Rota do Olhar e o grande projeto de valorização do Parque da Fonte Férrea, com água durante todo o ano».

Será, ainda, criada uma Área de Serviços para Autocaravanas e lançado o projeto de criação do Núcleo Interpretativo da EN2, que consolida a aposta turística na valorização da EN2.

O orçamento prevê, ainda, uma verba a rondar os 600 mil euros na prevenção e na proteção civil. Este dinheiro será investido «na criação de faixas de gestão da floresta, trabalhos de silvicultura, abertura de pontos de água, aquisição de equipamentos, nas parcerias com o Exército e no apoio aos Bombeiros Voluntários».

O Orçamento de São Brás de Alportel para 2019 contempla, igualmente, a ampliação e conservação da rede de saneamento do concelho, na qual serão gastos cerca de 350 mil euros.

Comentários

pub
pub