Já está reaberto o trilho pedestre que liga Monchique às Caldas

Meia centena de pessoas contribuiu com cerca de 300 euros, que serão usados para ajudar famílias a plantar árvores de fruto nas suas terras

Meia centena de pessoas participou este sábado, dia 17, na caminhada solidária entre Monchique e as Caldas, um percurso pedestre com cerca de 10 quilómetros, que foi agora reaberto após o grande incêndio de Agosto.

Num dia de bruma, mas ainda sem chuva, o grupo de caminhantes, onde se contava João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve, Sara Fernandes, da cooperativa QRER, responsável pela Algarve Walking Season, e ainda João Ministro, da empresa de turismo de Natureza ProActiveTur, começou por reunir-se no largo de S. Sebastião, junto ao posto de turismo…e ao ruidoso parque de assistência do Rallye Casinos do Algarve.

João Ministro explicou a necessidade de reabrir um trilho pedestre entre Monchique, a Picota e as Caldas, já que «todas as semanas, há turistas a chegar para fazer caminhadas na serra e era preciso encontrar alternativas para os percursos, já que os anteriores ficaram muito destruídos pelo fogo.

Guiado por Bruno Rodrigues, também da ProActiveTur, o grupo de caminhantes de várias nacionalidades seguiu depois por montes e vales, entre vegetação intocada pelo fogo ou por ela afetada, mas sempre no meio da riqueza da serra, passando na base da Picota e chegando até às Caldas de Monchique.

E o que se viu foi uma natureza que já está a renascer, na força dos rebentos dos medronheiros e dos eucaliptos, das folhas verdes dos sobreiros afetados pelas chamas, mas que afinal sobreviveram. Ou nos cogumelos que crescem nas encostas e nos medronheiros carregados, ao mesmo tempo, de flores e frutos.

A caminhada fez-se às vezes por estradas mais largas, que dão acesso às muitas casas dispersas por esta zona da Serra de Monchique, mas também por veredas ladeadas de árvores altas e por sulcos escavados na própria montanha por inúmeros pés, ao longo dos séculos.

É esta paisagem serrana, onde não faltam os cursos de água, a vegetação exuberante e os típicos socalcos de Monchique, que atrai tantos caminhantes a este concelho do interior do Algarve.

À chegada às Caldas, o grupo foi recebido com um chá quente e bolinhos algarvios, oferecidos pelas empresa proprietária da Villa Termal de Monchique. A terminar, João Fernandes, presidente da RTA, apresentou de forma breve a candidatura que foi entregue para valorizar o turismo de natureza na Serra de Monchique.

Porque esta caminhada era também uma atividade solidária, o valor da inscrição reverterá agora a favor das famílias de Monchique que necessitam de reflorestar os seus terrenos. Foram angariados perto de 300 euros.

Assim, cada inscrição corresponderá agora a uma árvore de fruto (Pereiro, Ameixoeira, Limoeiro ou Laranjeira), que será fornecida pelos Viveiros Dinis, de Monchique, e que a Associação Ajuda Monchique irá distribuir, juntamente com um kit de apoio, às famílias identificadas.

O evento contou com a cooperação da empresa cooperadora Proactivetur, que guiou a caminhada, e com o apoio da Região de Turismo do Algarve, da Câmara Municipal de Monchique, da Villa Termal de Monchique e da Associação Ajuda Monchique.

 

Fotos: Elisabete Rodrigues | Sul Informação

 

Comentários

pub
pub