Andrés Cea Galán traz a música ibérica ao Festival de Órgão em Tavira e Faro

Festival de Órgão do Algarve continua no fim de semana, com mais dois concertos

O músico, investigador e professor espanhol Andrés Cea Galán é o convidado para os próximos concertos do Festival de Órgão do Algarve, a ter lugar na Igreja de Santiago, em Tavira, a 23 de Novembro (sexta-feira), e na Igreja da Sé, em Faro, no dia seguinte (sábado).

Em Tavira, o programa selecionado inclui compositores tão diversificados como Scarlatti, Bach, Walther e Seixas, explorando as várias capacidades do órgão histórico de mais de 230 anos. A música ibérica será representada pela obra de José Lidón, compositor muito influente no seu tempo por ter sido organista e maestro da Capela Real.

Para Faro, o organista espanhol selecionou um programa que percorre as escolas organísticas alemã, holandesa e ibérica influenciadas pelo gosto italiano, fazendo jus ao percurso histórico do grande órgão da Sé de Faro desde a sua construção há mais de 300 anos.

Destaque para a interpretação das obras de Manoel Rodrigues Coelho, Pedro de Araújo e Pablo Bruna, um dos maiores compositores espanhóis de música para órgão do século XVII.

Andrés Cea Galán reparte a sua atividade profissional entre a interpretação, a investigação musicológica e a docência. Formou-se em Espanha, França e Suíça, e é Doutor pela Universidade Complutense de Madrid.

As suas numerosas publicações referem-se, especialmente, a aspetos da interpretação da música para teclado e da história e estética do órgão no âmbito ibérico. É frequentemente convidado como concertista, professor e conferencista por festivais e instituições académicas de toda a Europa, América do Sul, México e Japão.

Realizou diversas gravações discográficas distinguidas pela crítica especializada. Trabalha também habitualmente como consultor em projetos de restauro de órgãos para diversos organismos oficiais. É professor no Conservatório Superior de Música de Sevilha, presidente do Instituto del Órgano Hispano e académico da Real Academia de Ciências, Artes y Belas Letras Luis Vélez de Guevara.

Os concertos realizam-se às 21h30 e são de entrada livre.

O Festival de Órgão do Algarve 2018 é organizado pela Associação Cultural Música XXI, conta com os apoios da Direção Regional de Cultura do Algarve e dos Municípios de Faro, Loulé, Tavira e Portimão, com o apoio à divulgação da Região de Turismo do Algarve, com os parceiros de comunicação Antena 2, Sul Informação e Rua FM e com o parceiro de alojamento Hotel Faro. Conta ainda com a parceria da Ordem do Carmo de Faro, do Cabido da Sé de Faro, das Paróquias de Portimão, Boliqueime e Tavira e da Misericórdia de Tavira.

Foto: Jesœs Quintanar/ Milenio Diario

 

Programa para a Igreja de Santiago (Tavira), 23 de Novembro:

Domenico Scarlatti (1685-1757): Sonata en re menor K 92; Sonata en si menor K 87
Johann Sebastian Bach (1685-1750): Praeludium a moll BWV 895/1
Johann Gottfried Walther (1684-1748): Was mein Gott will, das gescheh allzeit
Johann Sebastian Bach (1685-1750): Fugue a moll BWV 895/1
Domenico Scarlatti (1685-1757): Sonata en la mayor K 208; Sonata en la mayor K 343
José Lidón (1748-1827): Cantabile al alzar de la misa
Carlos Seixas (1704-1742): Sonata en fa mayor; Sonata en sol menor (Andante-Minuete)

 

Programa para a Igreja da Sé (Faro), 24 de Novembro:

Heinrich Scheidemann (1595-1663): Praeambulum in d “O Gott, wir danken deiner Güt”
Dietrich Buxtehude (1637-1707): Canzonetta in d BuxWV 168
Jan Pieterzoon Sweelinck (1562-1621): Echo fantasia
William Byrd (1543-1623): Galliarde for the victorie
Manoel Rodrigues Coelho (ca. 1565-post 1633): Tento do quarto tom natural
Pedro de Araujo (segunda mitad del siglo XVII): [Obra] de 2º tom [Susana un jour]
Pablo Bruna (1611-1679): Medio registro alto de clarim; Tiento de falsas de segundo tono

Comentários

pub
pub