Aljezur espera vender 20 a 21 toneladas da «verdadeira batata-doce» no Festival

Haverá quatro restaurantes, três tasquinhas, mas também por uma reforçada oferta de street food e uma zona de petiscos

Foto: Pablo Sabater | Sul Informação

O Festival da Batata Doce começou esta sexta-feira, 30 de Novembro, em Aljezur, e as expetativas são de vender «20 a 21» toneladas da iguaria num certame que é «um grande momento para o concelho».

Manuel Marreiros, presidente da Associação de Produtores de Batata-Doce de Aljezur, confessou, em declarações ao Sul Informação, que «as chuvas de Abril complicaram um pouco a produção, apesar de estar mais ou menos em linha com os anos anteriores».

No Festival, que dura até domingo, 2 de Dezembro, e que terá inauguração oficial hoje, às 18h00, com a presença de Miguel Freitas, secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, estão presentes 16 produtores desta associação.

Um deles é Luís Augusto que o Sul Informação encontrou, na passada quarta-feira, 28 de Novembro, na sede da Associação de Produtores a ultimar os preparativos para o certame.

Luís Augusto

«Este ano tenho 1,3 toneladas de batata destinadas para o Festival. Sinto uma procura cada vez maior neste nosso produto. Há quem diga que faz bem à saúde», disse, sorridente.

Apesar de ser «apenas um hóbi», Luís Augusto tem uma produção de 4 toneladas, no total, vendendo muito a particulares. Ainda assim, acrescentou, «o Festival é bom porque ajuda a escoar as batatas, o que, antes, era mais difícil».

Outra das iniciativas que tem ajudado a divulgar a batata-doce de Aljezur, a «verdadeira de variedade lyra», são umas bancas que têm sido colocadas, em estabelecimentos comerciais, no concelho de Aljezur.

«É um expositor da Associação, bonito e certificado. Desde que colocámos essas bancas, as vendas aumentaram porque as pessoas sabem que ali podem comprar a verdadeira batata-doce», disse Manuel Marreiros ao nosso jornal.

E, para provar a iguaria, espaços não faltam no Festival da Batata-Doce. A variedade da oferta gastronómica no certame passa por quatro restaurantes, três tasquinhas, mas também por uma reforçada oferta de street food e uma zona de petiscos, na tenda exterior. No total estão presentes cerca de 100 expositores.

A tentação do doce mantém uma presença forte e é possível encontrar chocolates, gelados, compotas e até cervejas de batata-doce. 

Para José Gonçalves, presidente da Câmara de Aljezur, o Festival da Batata-Doce é «um momento muito importante para o concelho».

«Este ano temos algumas novidades, como a apresentação de duas conservas: uma de alcagoita de Aljezur com cavala e outra de batata-doce com atum», revelou ao Sul Informação. 

Quanto ao concurso de doçaria, também terá um aliciante nesta edição do Festival da Batata-Doce: o vencedor será o escolhido, por Aljezur, para ser candidato a um novo concurso das 7 Maravilhas que terá a doçaria como tema.

No fundo, este será um fim de semana diferente para Aljezur que acolhe um dos principais eventos gastronómicos do Algarve. «Teremos muita gente a visitar-nos, o que é sempre bom. Os estabelecimentos comerciais também vão estar abertos e fazem sempre mais negócio do que é habitual», concluiu José Gonçalves ao nosso jornal.

O Festival da Batata-Doce está aberto até às 24h00 desta sexta-feira e abre amanhã, sábado, às 12h00, fechando às 24h00. No domingo, o certame funciona das 12h00 às 22h00.

A entrada e o estacionamento são gratuitos.

 

Fotos: Pablo Sabater | Sul Informação

 

Comentários

pub
pub