90% das raparigas algarvias estão vacinadas contra vírus que causa cancro no útero

Portugal está na linha da frente, a nível mundial, na vacinação contra o Vírus do Papiloma Humano

Crédito: Depositphotos

A cobertura da vacinação contra o Vírus do Papiloma Humano (HPV), a principal causa para o cancro do colo do útero, já ronda os 90%, no Algarve. Na altura em que se assinala os dez anos desde a introdução desta vacina no Programa Nacional de Vacinação, a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve congratulou-se pela boa adesão das raparigas e suas famílias, que permitiu chegar a estes números.

«A vacina destina-se especificamente à prevenção de lesões pré-cancerosas e cancro do colo do útero e ainda da vulva, vagina e ânus. Previne ainda as verrugas genitais associadas aos genótipos contidos na vacina», explicou a ARS do Algarve.

O cancro do colo do útero é o segundo tipo de cancro mais frequente na mulher e, «em quase 100% dos casos, está relacionado com uma infeção anterior por Vírus do Papiloma Humano», pelo que esta vacina permite «prevenir e intervir precocemente» no desenvolvimento desta doença.

Desde Outubro de 2008 que são administradas às raparigas com 13 anos três doses de vacina que protegia contra quatro serotipos do vírus, dois dos quais os mais associados ao cancro do colo do útero.

Entretanto, a evolução tecnológica permitiu a evolução da vacina, que hoje protege contra nove serotipos do HPV, aumentando a proteção «para cerca de 90% dos tipos de vírus associados ao cancro do colo do útero e contra outros cancros anogenitais». É administrada em duas vezes em raparigas com 10 anos.

Atualmente, o nível de cobertura desta vacina, na região algarvia, é de «cerca de 90% para a 1ª dose e de 80% a 85% para a segunda dose».

Nos últimos dez anos, foram vacinadas 750 mil raparigas em Portugal, que está atualmente «entre os países com melhor resultado do mundo em termos de vacinação contra o Vírus do Papiloma Humano».

Comentários

pub
pub