Vilamoura requalifica ruas e cria mais ciclovias

Intervenções querem melhorar qualidade de vida de residentes e turistas

A requalificação de ruas, mas também a construção de ciclovias e de mais lugares de estacionamento são algumas das obras que já avançaram (ou vão avançar) em Vilamoura.

A empresa municipal Inframoura, em parceria com a Câmara de Loulé, desenvolveu os projetos com o objetivo de «melhorar as condições de qualidade de vida, a acessibilidade e a mobilidade».

A estratégia global «integra quatro zonas de intervenção e tem como princípio comum a criação de um espaço urbano de excelência e harmonia, com valorização do ambiente urbano, melhorando a qualidade de vida não só dos residentes mas também dos seus visitantes», explica a Inframoura.

Neste sentido, o projeto de requalificação da Alameda da Praia de Vilamoura encontra-se em fase de concurso público com o objetivo de melhorar as condições de mobilidade pedonal e ciclável, «tirando partido da excelência das praias e dos espaços de lazer de Vilamoura».

Com esta requalificação «pretende-se devolver a Alameda da Praia da Marina ao peão, aumentando o espaço a si destinado, harmonizar e valorizar a imagem do espaço público, bem como dar prioridade ao conforto através da adoção e adaptação de elementos de mobiliário urbano, criando também zonas verdes».

Quanto ao projeto de requalificação da rua do Sol está concluído. Em fase de execução estão as empreitadas nas ruas do Clube Náutico e da Botelha.

«Com estas intervenções, pretende-se também incrementar a mudança no paradigma de mobilidade urbana, introduzindo políticas de gestão de cidade sustentável e criando condições para a prática de modos suaves (pedonal e ciclovia), bem como incentivar a utilização de transportes públicos».

Quanto ao projeto de construção do parque de estacionamento Melvin Jones está em fase de início de trabalhos, tendo surgido com o objetivo de melhorar as atuais condições de estacionamento na zona central de Vilamoura. Este parque será constituído por 159 lugares de estacionamento.

Dado o elevado acréscimo de população na época balnear, que se traduz na falta de lugares de estacionamento, surgiu a necessidade também de construir o Parque de Estacionamento Subterrâneo no Centro Tivoli que contará com 400 lugares de estacionamento.

«Com este projeto, que está em fase de estudo, pretende-se criar mais soluções de mobilidade urbana sustentável e dignificar o espaço público nesta zona central de Vilamoura, com elevado potencial que se encontra profundamente desqualificada».

No âmbito do Plano de Ação para a Rede Ciclável de Vilamoura está ainda em fase de conclusão o projeto com vista a alargar e promover a melhoria da rede de ciclovias de Vilamoura. O alargamento irá resultar numa extensão superior a 2 quilómetros de ciclovia e será realizado nas Avenidas João Meireles e dos Estados Unidos.

Desde a requalificação da Avenida João Meireles, que dotou este espaço verde de novas infraestruturas urbanas, este local tornou-se «num ponto de referência de Vilamoura, pela oferta de espaços de lazer, de desporto e meios alternativos de mobilidade», segundo a Inframoura.

«No entanto, é necessário dotar este espaço de novas infraestruturas com vista a dar melhor resposta à intensidade de utilização atual. O objetivo é definir de forma clara os diferentes fluxos e usos, separando os utilizadores que se deslocam de bicicleta dos peões. Assim, será construída uma nova via para deslocação de bicicletas, ficando a atual para o uso de peões, permitindo desta forma uma deslocação mais segura e fluída ao longo do percurso».

A ideia também é criar uma ciclovia na rua dos Estados Unidos da América. Assim, será criada a conexão entre as duas avenidas, resultando num circuito de transporte em anel na zona central de Vilamoura.

Comentários

pub
pub