Uma das quatro mortes nas praias vigiadas de Portugal aconteceu no Algarve

Ao longo da época balnear, houve 11 vítimas mortais em todo o litoral português, em zonas vigiadas ou não

O turista alemão de 54 anos que acabou por morrer no hospital, depois de ter entrado em pré afogamento na praia da Fuseta-Mar, em Olhão, no dia 11 de Setembro, é uma das quatro vítimas mortais nas zonas balneares vigiadas do litoral de Portugal Continental, revelou a Autoridade Marítima Nacional.

A AMN recorda que a «vítima chegou com sinais vitais ao hospital, falecendo 12 horas após o acidente». O homem tinha sido apanhado por um agueiro na praia da Fuzeta-Mar, tendo sido retirado de lá e reanimado, graças à rápida intervenção do salva-vidas de Olhão, dos nadadores-salvadores, de uma militar que presta serviço no ISN, de uma enfermeira que estava no local e do INEM, tal como o Sul Informação então noticiou. Infelizmente, acabou por morrer, já no hospital.

As restantes mortes em praias vigiadas do litoral português ocorreram nas praias de Carcavelos (2) e na Praia de Santo António, na Costa da Caparica.

No total, registaram-se 11 acidentes mortais, dos quais as 4 já referidas em praias vigiadas e 5 em zonas balneares não vigiadas: um homem de 38 anos, afogado na Praia das Valeiras, em S. Pedro de Moel, a 6 de Junho, num caso que ainda está a ser investigado pela Polícia Judiciária; um homem de 45 anos, acometido de doença súbita, na Praia dos Pescadores, em Espinho, a 15 de Julho; um jovem de 20 anos e nacionalidade sul-africana, que se afogou na Baía do Funchal, a 27 de julho; um homem de 38 anos, vítima de doença súbita, na Praia do Norte, na Nazaré, a 11 de Setembro; e finalmente um homem polaco, de 40 anos, na Praia de Angeiras, em Matosinhos, por razões ainda desconhecidas, no dia 14 de Outubro.

Houve ainda uma vítima mortal em praia marítima após a época balnear, portanto já não vigiada (na Praia da Costa Nova, em Ílhavo, a 28 de Setembro, um homem de 50 anos) e outra em zona marítima não vigiada (Cova do Vapor, no Rio Tejo, a 25 de Setembro, quando morreu afogado um jovem de 16 anos).

Ao longo desta época balnear, a Autoridade Marítima Nacional registou ainda 322 salvamentos , 969 ações de primeiros socorros e 37 buscas a crianças desaparecidas.

A Época Balnear 2018 decorreu entre 1 de Maio e 15 de Outubro.

Comentários

pub
pub