“Um Mar de Filmes” terminou com medronho e música em Alcalar

Sessão de encerramento foi também homenagem a Monchique

O documentário ««Medronho todos os dias (Unedo Omnes Dies)», antecedido pela música dos Cavaquinhos de Monchique e rematado com uns copitos de aguardente de medronho e de melosa, acompanhados por bolo de mel e canela. Foi assim que no sábado à noite, sob o céu estrelado dos Monumentos Megalíticos de Alcalar, terminou a primeira edição da mostra «Um Mar de Filmes».

«Todos esses medronhais que vimos no filme, toda essa serra, desapareceu com o incêndio de Agosto», lamentou Paulo Rosa, da APAGARBE – Associação de Produtores de Medronho do Barlavento Algarvio.

É que esta sessão final da mostra de cinema documental «Um Mar de Filmes!» era também uma pequena homenagem a Monchique e aos seus martirizados produtores da aguardente de medronho.

Ao longo de uma hora de filme, com o som da aguardente a escorrer do alambique como pano de fundo, pôde perceber-se como esta atividade depende de um saber secular que, agora, com os incêndios, corre risco de perder-se. Como disse um produtor presente na sessão, «nós já estamos cansados de lutar contra esta desgraça que nos atinge de dez em dez anos. Já não temos muito mais forças para começar de novo…».

Com a realização, o som e a imagem a cargo de Sílvia Coelho e Paulo Raposo, o documentário, rodado em 2014, conta com a participação de Joaquim Valério, Joaquim Arracha, Joaquim Teixeira, José Viana, Leonilde Viana, José da Silva, José Rosendo, Grupo Coral da Confraria do Medronho “Os Monchiqueiros”.

O ciclo de filmes documentais portugueses «Um Mar de Filmes» passou por Alcalar, mas também pela Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe e pela Fortaleza de Sagres, numa iniciativa da Rizoma Lab – Associação Cultural, integrada no DiVaM 2018 – Dinamização e Valorização dos Monumentos – programa cultural organizado pela Direção Regional de Cultura do Algarve.

Esta última sessão integrou-se ainda nas Jornadas Europeias do Património e contou com o apoio do Museu de Portimão, Junta de Freguesia de Monchique, Cavaquinhos de Monchique e APAGARBE – Associação de Produtores de Medronho do Barlavento Algarvio.

Comentários

pub
pub