Monchique: Projeto que protege animais domésticos em caso de incêndio foi premiado

Iniciativa da Câmara de Monchique distinguida em prémios que reconhecem a excelência e o mérito na medicina veterinária em Portugal

O Projeto Animal Seguro, da Câmara de Monchique, venceu, esta quinta-feira, 11 de Outubro, o Prémio Inovação da edição de 2018 dos Prémios Veterinária Atual.

Estes prémios, promovidos pela revista Veterinária Atual e pela IFE by Abilways, visam «reconhecer a excelência e o mérito na medicina veterinária em Portugal.

O Projeto Animal Seguro foi desenvolvido por Ana Silva, médica veterinária municipal de Monchique, e estabelece medidas preventivas, regras de atuação e medidas de primeiros socorros para animais de companhia, em caso de incêndio.

Ana Silva, quando o projeto foi lançado, explicou ao Sul Informação que o objetivo da iniciativa é que «as famílias tenham um plano de proteção e evacuação em que os elementos de quatro patas [ou duas asas] também estejam incluídos».

Este programa algarvio, pioneiro no país, baseia-se «no programa desenvolvido nos Estados Unidos, após o furacão Katrina».

«Segundo dados de 2010, cerca de 80 a 90% dos animais não evacuados pelos seus tutores em caso de catástrofe acabam por morrer», acrescentou Ana Silva.

O projeto não abrange apenas animais de companhia, estendendo-se a animais de guarda e até de produção, como galinhas, porcos, cavalos, cabras, ovelhas e coelhos.

As medidas de proteção são diferentes em função das características e da quantidade de animais a proteger, quer se trate de animais de companhia, quer de animais de produção.

Algumas das regras são básicas: a médica veterinária municipal explica que, porque «os animais se desorientam muito com o fogo», os seus donos que vivem em zonas de risco devem ter sempre à mão uma trela ou uma caixa de transporte. E quem tem animais perigosos em casa – como cobras, aranhas – também se deve lembrar deles na hora de sair.

Nas janelas das casas deve ainda ser colocado um autocolante que indique quais os animais que estão na habitação e se são agressivos. Esta informação serve para que as equipas de resgate saibam exatamente o que irão encontrar. Além disso, depois de os donos deixarem a sua casa, levando os animais, devem escrever no autocolante, em letras grandes, a palavra “Evacuado”.

Todas as regras e procedimentos a seguir para proteger os animais estão contidos num manual com 24 páginas, que foi distribuído pelo Município e que pode ser descarregado aqui, em PDF.

Comentários

pub
pub