Largo de São Pedro vai estar requalificado até final do ano «se não chover muito»

Obra de requalificação do Largo de São Pedro custa 59 mil euros

Foto: Pablo Sabater | Sul Informação

O Largo de São Pedro, em Faro, vai estar de “cara lavada” até ao final do ano. Os trabalhos de requalificação já arrancaram e pretendem reordenar o espaço e «dar uma dignidade diferente ao adro da igreja».

O executivo farense apresentou hoje alguns dos projetos que tem em curso no concelho, em mais uma edição do Faro Positivo, entre eles a requalificação desta zona da cidade.

Rogério Bacalhau, presidente da Câmara, explicou que «a requalificação do Largo de São Pedro faz parte de um projeto mais amplo, que passa pela requalificação total do Largo Catarina Eufémia».

O objetivo desta primeira fase da intervenção, junto à Igreja de São Pedro, «é o de reordenar a zona em frente à igreja, que tinha uma confluência de sentidos de trânsito», dando mais espaço aos peões para circular na área.

«Será uma zona com cota zero», com calçada com desenhos que «pretende transmitir uma mensagem» através de uma rosa dos ventos e uma “teia” de rotas que se entrelaçam “desenhando”, no solo, um dos primeiros símbolos do cristianismo: o peixe.

Já o piso das faixas de rodagem para automóveis utilizará os paralelepípedos existentes no local.

Ao nível do mobiliário urbano, serão instalados subtainers para depósito de lixo doméstico e luminárias LED em colunas de aço com seis metros de altura. Em simultâneo, a Fagar também está a trabalhar nesta zona, substituindo condutas de abastecimento.

A obra de requalificação do Largo de São Pedro vai custar 59 mil euros e faz parte do Plano de Ação de Regeneração Urbana de Faro, tendo, por isso, financiamento a 65%. O prazo de execução é de 60 dias.

«Se não chover muito a obra estará pronta até ao fim do ano», gracejou Rogério Bacalhau.

Além desta intervenção, a comitiva que participou no Faro Positivo visitou o Cemitério Novo de Faro, onde está em fase de conclusão a construção de 176 gavetões. Serão ainda construídos mais 336 gavetões, como o Sul Informação já adiantou, numa obra que ainda está em fase de adjudicação.

Também foram apresentados os investimentos da autarquia no parque escolar do concelho, que incluem a requalificação da EB de Marchil, que já está concluída, e da EB do Areal Gordo, que está em fase de conclusão.

Foram ainda substituídas as caixilharias na escola EB1 da Penha, foi intervencionado o espaço exterior da EB1 do Carmo e encontra-se em projeto a requalificação dos arranjos exteriores da EB1 de Santa Bárbara de Nexe.

A juntar a isto, foi construída uma sala de ensino pré-escolar na EB de Estoi e está aberto concurso público para a construção de três outras salas na EB1 de Bom João.

A Câmara de Faro apresentou ainda projetos na área da habitação social e a custos controlados, entre eles a requalificação de prédios da autarquia junto à Praça José Afonso. Esta intervenção faz parte de um conjunto mais alargado de obras de recuperação de edifícios de habitação social, num investimento que ascende a 460 mil euros.

Rogério Bacalhau adiantou também que está prevista a construção de prédios, a custos controlados, em três lotes, junto à Avenida Calouste Gulbenkian, sendo que esta obra ainda carece da alteração do Plano de Pormenor da Lejana.

Por fim, está prevista a construção de 22 fogos de habitação social, na Rua Ludovico Menezes, num edifício que será também a sede do Grupo de Teatro Lethes.

Comentários

pub
pub