Quarteira: Empreiteiro desiste de construir Escola D. Dinis e Câmara lança novo concurso

Não há data de previsão para arranque da obra pois o concurso público internacional ainda está a decorrer

Foto: Fabiana Saboya | Sul Informação

A Câmara de Loulé lançou um concurso público internacional para a construção da nova Escola D. Dinis, em Quarteira, cuja obra esteve quase a começar, em Maio deste ano. O projeto chegou a ser apresentado à comunidade escolar, mas o empreiteiro «recusou-se a avançar» por problemas financeiros.

Ao Sul Informação, Vítor Aleixo, presidente da Câmara de Loulé, explicou que, após ter ganho um primeiro concurso, «o empreiteiro desistiu, alegando que os preços de mercado tinham disparado».

«Foi-nos dito que não havia possibilidade de movimentar equipas de trabalho, nem existia local onde alojar as pessoas. Para o empreiteiro, era economicamente impossível arrancar com a obra», explicou o edil.

Agora, a autarquia já lançou um novo concurso público internacional, cujo aviso foi publicado a 25 de Setembro, com o objetivo de arrancar com a obra numa escola que está degradada. Quanto à data de começo da empreitada, Aleixo não avança qualquer previsão por agora.

 

Foto: Fabiana Saboya | Sul Informação

A nova escola vai ter 24 salas de aula, climatizadas e equipadas com quadros interativos, além de dois laboratórios, duas salas TIC, uma de música e outras duas para a disciplina de Educação Visual e Tecnológica (EVT). A isto soma-se, ainda, uma sala para a disciplina de Educação Tecnológica (ET).

Todo o edifício será construído de raiz, mas a entrada da escola será feita pela mesma zona onde é agora: em frente ao parque de estacionamento.

A entrada terá um amplo átrio. Do lado esquerdo, estarão os espaços mais administrativos. O lado direito albergará as duas alas com salas de aula e um Centro de Recursos. Já na zona de receção, haverá quatro elementos com imagens da antiga escola para se perpetuar a memória daquilo que foi aquele espaço.

Quanto ao novo Pavilhão Gimnodesportivo de Quarteira, cujo projeto foi entretanto concluído, será construído na parte traseira da escola.

«Juntámos, no mesmo concurso, as duas obras: a da escola e do pavilhão. Isto significa que a empreitada que está agora a concurso vale 12 milhões de euros», adiantou Vítor Aleixo ao nosso jornal.

O PSD/Loulé já veio a público contestar o impasse nas obras da Escola D. Dinis. «Aquela que sempre foi assumida como uma das principais apostas do autarca eleito pelo PS continua a marcar passo, sem que se saiba a data de arranque de uma obra que demorará, no mínimo, dois anos a estar concluída», dizem os sociais democratas.

Foto: Fabiana Saboya | Sul Informação

«Numa altura em que os cofres da autarquia estão cada vez mais cheios – os depósitos em bancos ultrapassam já os 80 milhões de euros -, e depois do anterior executivo liderado pelo PSD ter deixado o projeto em carteira, é impossível encontrar razões válidas para justificar esta situação», diz, ainda, o comunicado.

Confrontado com estas palavras, Aleixo considera o comunicado «hipocritamente ignorante».

«A minha reação é que o comunicado do PSD não é honesto. Ocorrências destas, de concursos que ficam desertos ou que, na hora de arrancar a obra, os empreiteiros se recusam, estão a acontecer em todo o país», concluiu.

Comentários

pub
pub