E em Agosto, a taxa de ocupação cresceu no Algarve

O Algarve foi a região do país que registou a taxa de ocupação mais elevada, a nível nacional, em Agosto

O Algarve teve uma ocupação hoteleira de 93%, em Agosto, mais dois pontos percentuais do que no mesmo mês de 2017 e a mais elevada do país. Este crescimento quebra uma série de seis meses em que o nível de ocupação foi abaixo do que se tinha verificado há um ano, que durava desde o início de 2018.

Este é um dos indicadores em destaque no relatório da AHP Tourism Monitors de Agosto, revelado esta quarta-feira pela Associação da Hotelaria de Portugal. Segundo esta entidade, o preço médio por quarto ocupado (ARR), nos hotéis da região, ascendeu aos 187 euros por dia, com o preço por quarto disponível (RevPAR) a subir 6%.

Por zonas, foi no Barlavento Algarvio que se registou a maior taxa de ocupação, 94%, contra os 92% tanto do Algarve Central como do Sotavento.

Os indicadores do Algarve não estão em linha com os apurados a nível nacional pela AHP. Contabilizando as diferentes regiões de Portugal, a taxa de ocupação homóloga desceu 1,3 pontos percentuais, fixando-se nos 87%.

«Estávamos com alguma expectativa relativamente ao comportamento da operação hoteleira no mês de Agosto. Apesar de a taxa de ocupação ter decrescido, os resultados são globalmente bons. Em termos absolutos, este foi, sem surpresas, o melhor mês do ano. Dos 14 destinos do Hotel Monitor, apenas três (Beiras, Viseu e Leiria/Fátima/Templários), registaram ocupações abaixo dos 80%. No ARR e RevPAR, os resultados continuam a ser bastante positivos, no entanto há a destacar a quebra nos destinos Grande Porto e Oeste. No próximo mês, com os dados de Setembro, iremos fazer uma análise ao comportamento da hotelaria nos meses de verão e aí faremos um balanço», prometeu Cristina Siza Vieira, da Associação da Hotelaria de Portugal.

Comentários

pub
pub