Cine-Teatro Louletano acolhe três residências artísticas em Outubro

Raquel André, Cátia Pinheiro e Gustavo Ciríaco são os artistas convidados

O Cine-Teatro Louletano vai acolher três residências artísticas com criadores nacionais e internacionais, durante o mês de Outubro.

Estas residências resultam da colaboração entre a estrutura cultural louletana e a associação casaBranca, de Lagos, no âmbito do festival “Verão Azul”.

«Usar o próprio corpo por forma a colecionar pessoas. Usar o corpo como arquivo, aprendendo a assimilar guardando no corpo as memórias dos outros. Isso mesmo é o que se propõe a criadora Raquel André enquanto faz, em Loulé, no Convento do Espírito Santo, durante os dias 7 e 12 de Outubro, a sua residência artística apoiada pelo Cine-Teatro Louletano», descreve a Câmara de Loulé.

O projeto “Colecção de Artistas”, «surge no seguimento da residência efetuada em Maio deste ano em colaboração com o Teatro das Figuras em Faro, da qual resultou a angariação de dois artistas».

A proposta da criadora «é promover encontros e pedir aos artistas de artes performativas sediados no Concelho de Loulé que se deixem colecionar». O resultado ver-se-á no próximo dia 11 de outubro, pelas 18h30, no auditório do Convento do Espírito Santo, numa “Conversa aberta com Raquel André”.

«O apoio do Cine-Teatro Louletano não se fica, no entanto, por aqui. É um investimento num projeto a longo prazo, em resposta ao coletivo casaBranca, organizador do Festival “Verão Azul” que, em 2019, assinala a sua 9ª edição, momento em que todo o trabalho desenvolvido no âmbito das residências artísticas será apresentado ao grande público sob a forma de espetáculos de maior fôlego», segundo a autarquia.

Também este mês, Cátia Pinheiro vai estar no Cine-Teatro Louletano a trabalhar no projeto “Walk #2”, «um percurso áudio site-specific que se serve de uma cidade, Loulé, e de pequenas ficções dela extraídas, para nos tentar conduzir numa viagem única e pessoal através da perspetiva individual de cada espetador».

Após o período de residência, de 7 a 14 de Outubro, serão criados textos e efetuadas gravações de materiais áudio, «trabalho este que culminará na edição de um audiowalk único, criado para e a partir dos locais onde se inserem, mas haverá um momento intermédio em que parte da recolha feita e dos olhares se mostrarão na “Conversa aberta com Cátia Pinheiro”, também no Convento do Espírito Santo, em Loulé, a 18 de Outubro, às 18h30.

O brasileiro Gustavo Ciríaco é o outro artista que realizará a residência da sua próxima criação, entre os dias 23 de Outubro e 4 de Novembro, no Cine-Teatro Louletano.

A sua residência artística “Entre cães e lobos” é «o projeto cénico de construção de paisagens limiares entre a claridade e a escuridão a partir da angariação de relatos e descrições de paisagens que deixaram de existir, guardadas apenas nas memórias de anciões, e de paisagens oníricas desenhadas e imaginadas por crianças».

“Entre cães e lobos” inspira-se nas horas do crepúsculo e na luminosidade reduzida para investigar condições de visibilidade e modos de traduzir experiências de paisagem na sala escura do teatro. Em Loulé, Ciríaco trabalhará com um grupo de adultos seniores sobre as suas memórias de paisagens que já não existem.

Comentários

pub
pub