Altice Lab nasce em Pechão e abre em 2019

A Câmara de Olhão está a negociar a aquisição de duas lojas na Zona Industrial de Bela Mandil, entre Olhão e Faro, para instalação do laboratório

«Será de Pechão, com a Altice Portugal, para o mundo». A localização do futuro Altice Lab de Olhão já foi escolhida e este polo de um dos principais laboratórios de desenvolvimento tecnológico do pais, sediado em Aveiro, deverá ser inaugurado até ao final do primeiro semestre de 2019.

A instalação deste laboratório em Olhão foi formalizada entre a Altice Portugal e a Câmara de Olhão numa sessão que decorreu no dia 4 de Outubro. A comissão executiva da empresa, encabeçada pelo seu presidente Alexandre Fonseca, esteve na cidade algarvia para oficializar a criação deste polo da antiga PT Inovação, que já havia sido anunciada há cerca de um ano.

Entretanto, foi feito muito trabalho de casa, que também passou pela identificação de um local para instalar esta estrutura. E a localização escolhida é a Zona Industrial de Bela Mandil, na freguesia olhanense de Pechão.

«Estamos já em negociação com o dono de duas lojas na Zona Industrial de Bela Mandil, entre Olhão e Faro, que tem as condições necessárias para a instalação do Altice Labs e capacidade de expansão, para a eventualidade de haver startups que se queiram ali instalar», revelou ao Sul Informação o presidente da Câmara de Olhão, à margem da sessão de assinatura do protocolo com a Altice Portugal.

Segundo António Pina, a inauguração do Altice Lab de Olhão «depende apenas da negociação com os proprietários das lojas. Se for bem sucedida, o que nós acreditamos que aconteça e que o processo fique concluído até final do ano, podemos apontar para a inauguração do pólo de Olhão dos Altice Labs para o final do primeiro semestre de 2019».

«A aquisição do espaço e de todo o mobiliário será feita pela autarquia, conforme estipula o protocolo, sendo que o equipamento digital será garantido pela Altice. O investimento necessário rondará os 150 mil euros», acrescentou o edil olhanense.

Numa entrevista exclusiva que concedeu ao Sul Informação, Alexandre Fonseca, presidente executivo da Altice Portugal, garantiu que, depois de ter anunciado há um ano que o processo de descentralização dos Altice Labs passaria por Olhão, a empresa que dirige «não se ficou pelo diagnóstico» e que hoje tudo está «mais claro e definido para a atividade a desenvolver». Algo que, diz, «está patente nos projetos que estamos a integrar e nos que temos para anunciar».

«A Altice Portugal tem vindo a manter contactos estreitos e permanentes com a autarquia e com o conselho coordenador estratégico que foi instituído na sequência desse pontapé de saída. Aqui não há margem para dúvidas: queremos um polo da Altice Labs em Olhão. Este protocolo consubstancia isso mesmo e é mais um passo para que isso aconteça», disse.

«A verdade é que têm sido dados passos concretos, no âmbito do desenvolvimento de parcerias e diálogo com vários agentes, com as forças vivas da região e com a academia. Portanto, procuramos arranjar uma comunidade que possa enriquecer e viabilizar aquilo que são ideias de inovação, produtos, tecnologias», acrescentou Alexandre Fonseca.

Este desígnio passa, em grande medida, por outros protocolos que foram assinados pela Altice Portugal nos últimos dias, nomeadamente os acordos celebrados com a Universidade do Algarve e com a Algarve STP, a associação que dinamizará o futuro Algarve Tech Hub.

Esta associação é um exemplo do «ambiente empreendedor» que António Pina considera que está a crescer no Algarve Central, que irá, eventualmente, alimentar o Altice Lab de Olhão. «Nós vamos pertencer a esse grupo [Algarve STP], que é liderado pela Universidade do Algarve e envolve a ANJE e os municípios de Faro e Loulé», anunciou António Pina.

Comentários

pub
pub