Algas juntam CCMar e empresas algarvias em laboratório colaborativo

Os parceiros do “GreenCoLab” poderão, agora, «trabalhar de forma estratégica e integrada no desenvolvimento de novas tecnologias, produtos e serviços»

O potencial da biotecnologia de algas, em Portugal, vai ser potenciado pelo recém-criado “GreenCoLab”, um laboratório colaborativo que junta seis parceiros, três dos quais algarvios.

Ao Centro de Ciências do Mar (CCMar) do Algarve, proponente da ideia, juntam-se as empresas algarvias Necton e Sparos, bem como as suas congéneres Allmicroalgae, de Pataias, e Algaplus, de Ílhavo. O grupo de parceiros fica completo com outra unidade de investigação, o Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG).

Este passará a ser um dos laboratórios colaborativos reconhecidos pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, que lançou estas estrututuras «para criar emprego qualificado e científico e promover atividades de investigação e inovação orientadas para a criação de valor económico e social».

«O “GreenCoLab” vai promover o crescimento económico e a inovação deste setor com elevado potencial, apostando na produção em maior escala e na diversificação de produtos comerciais baseados em algas», segundo o CCMar.

Este laboratório colaborativo permitirá aos diferentes parceiros «trabalhar de forma estratégica e integrada no desenvolvimento de novas tecnologias, produtos e serviços».

«O GreenCoLab vai, a curto prazo, otimizar a atual produção industrial de compostos baseados em algas para a cosmética, produtos farmacêuticos, alimentação e rações animais, e assegurar que estes produtos respondem às necessidades do mercado. A longo prazo, esperamos que o GreenCoLab venha a diversificar a gama de produtos industriais que se podem extrair de algas para incluir, por exemplo, biofertilizantes para recuperar solos e produtos que actuem na sequestração de carbono ou no tratamento de águas residuais», considerou Adelino Canário, diretor do CCMar.

Comentários

pub
pub