Algarve escapou à fúria do furacão Leslie

Apesar de algumas quedas de árvores e de estruturas, não houve danos registados, na região

Foto: Meteofontes

Os efeitos do furacão Leslie, que provocou vários feridos e dezenas de desalojados na sua passagem pelo centro do país, pouco se fizeram sentir no Algarve. Desde o final da tarde de ontem e durante a noite e madrugada, considerado o período crítico pelo IPMA, houve apenas a registar algumas quedas de árvores e de outras estruturas, que não causaram danos, segundo garantiu ao Sul Informação o Comando Distrital de Operações de Socorro de Faro.

Um cenário bem distinto do que aconteceu noutras zonas do país, nomeadamente no distrito de Coimbra , o mais afetado (o furacão, já sob a forma de tempestade tropical, entrou em terra na zona da Figueira da Foz), mas também nos de Aveiro, Leiria e Viseu.

Segundo o último balanço feito pela Autoridade Nacional de Proteção Civil, a passagem do furacão Leslie provocou 27 feridos ligeiros e 61 desalojados, tendo sido comunicadas à Proteção Civil perto de 1900 ocorrências.

Segundo a previsão do Instituto Português do Mar e da Atmosfera para este domingo, dia 14 de Outubro, a agitação marítima – que colocou o Algarve sob aviso Laranja ao final do dia de ontem e nas primeiras horas do dia de hoje – manter-se-á forte esta manhã, mas desgravará a partir da tarde.

Na costa Ocidental, são esperadas ondas de oes-noroeste com 4 a 5 metros, diminuindo para 2,5 a 3,5 metros a partir da tarde. Na costa Sul, prevêem-se ondas de sudoeste com 2 a 3 metros, diminuindo para 1,5 a 2 metros a partir da tarde.

Comentários

pub
pub