Afonso III, Al-Mutamid e um Infante D. Henrique de chinelos ajudam a desvendar o Algarve

Espetáculo vai passar por Faro, Castro Marim e Loulé

Ensaio. Foto: Pablo Sabater|Sul Informação

O Algarve vai ser desvendado, a partir de 28 de Outubro, por D. Afonso III, Al-Mutamid, pelo Infante D. Henrique de chinelos e até por D. Francisco Martins Mascarenhas, que carrega o Pentateuco num tablet. O espetáculo Faro Desvendado evoluiu para um Algarve Desvendado, que vai sair da capital algarvia e passar também por Loulé e Castro Marim.

O Algarve Desvendado vai propor uma visita pela história algarvia, desde a conquista do Algarve, por D. Afonso III, até à Guerra Civil, que opôs absolutistas e liberais, no século XIX. Afonso III e Al-Mutamid serão os guias desta viagem no tempo, que terá muitos momentos de humor e interação com o público.

Rui Gonçalves, diretor artístico do espetáculo, desvendou ao Sul Informação um pouco do que será este Algarve Desvendado. «Algumas das partes da história serão contadas de acordo com o local onde será apresentada», seja a Vila Adentro, em Faro, o Castelo de Loulé ou o Castelo de Castro Marim. Depois, haverá «uma parte ficcional, mas respeitando a história».

Rui Gonçalves | Foto: Pablo Sabater/Sul Informação

O Algarve Desvendado tem uma «roupagem nova» em relação ao Faro Desvendado, havendo até figurinos originais. «Vamos contar a história com elementos futuristas. As personagens usarão tablets, smartphones. Há até um momento em que a Diana Bernedo, que irá representar um militar liberal, tira uma fotografia ao Remexido para pesquisar quem ele é na Wikipedia. O Infante D. Henrique surge quase como um turista, em chinelos, a Guerra Civil será decidida num combate de boxe… Haverá muito humor e interação com o público, que será também ator em várias cenas».

Esta relação próxima com o público também é realçada por Fernando Cabral, ator, que irá interpretar o papel de D. Afonso III, depois de, no Faro Desvendado, ter sido um tartesso. «O público é a alma deste espetáculo. O feedback que nos dão, cria momentos diferentes. Não há duas sessões iguais. O papel do guia é sempre de improviso e agora será ainda mais desafiante, porque teremos dois guias, que vão passar o espetáculo a “picar-se”. Serei eu, o grande rei Afonso III, e o Al-Mutamid (Rui Gonçalves)».

Fernando Cabral | Foto: Pablo Sabater/Sul Informação

Da experiência adquirida durante o Faro Desvendado, Fernando Cabral faz uma revelação curiosa: «por incrível que pareça, os turistas estrangeiros e as pessoas que vêm de outros pontos do país têm mais noção da história do Algarve do que os próprios algarvios, porque vão investigar antes de vir. Por isso, acabam por ser os algarvios aqueles que mais se surpreendem com o que revelamos».

A atriz espanhola Diana Bernedo não conhecia muito da história do Algarve antes de se mudar para a região. Agora, com o Algarve Desvendado, aprofundou muito desse conhecimento. «Acaba por ser importante para mim, para conhecer a história a as raízes deste local onde vivo».

«Vamos fazer rir e ensinar a partir do teatro», garante.

Diana Bernedo | Foto: Pablo Sabater/Sul Informação

Quem também vai aprender com este Algarve Desvendado são os alunos do curso profissional de Artes do Espetáculo da Escola Secundária Tomás Cabreira, que vão fazer figuração no espetáculo, e os alunos da Escola Secundária Pinheiro e Rosa, que vão assumir o papel de assistentes de produção.

«Teremos ainda uma paisagem sonora que será transmitida através de uma coluna bluetooth», acrescenta Rui Gonçalves, nos camarins do Teatro das Figuras, momentos antes de mais um ensaio, que o nosso jornal acompanhou.

O Algarve Desvendado vai ter «um final de aceitação», vai terminar com comida e prova de vinhos e de mel da Melgarbe e uma mostra de artesanato promovida pela Sardinha de Papel. «E mais não vou dizer», conclui o diretor artístico.

O resto será desvendado no espetáculo.

O Algarve Desvendado integra a programação do 365 Algarve. Os bilhetes custam 10 euros e podem ser adquiridos na BOL.

 

Veja as fotos do ensaio:

Ficha Técnica e Artística

Ideia, conceito e direção artística: Rui Gonçalves
Criação e interpretação: Diogo Simão, Fernando Cabral, Miguel Martins Pessoa, Rui Gonçalves, Tânia Silva, Tata Regala, Ivelina Assenova-Kavrakova-Pereira e Diana Bernedo.
Figuração: Alunos do curso profissional de Artes do Espetáculo da Escola secundária Tomás Cabreira
Figurinos: Felipe Correia
Produção executiva: Vera Pinheiro
Assistência de produção: Alunos do 2º ano do curso técnico de organização de eventos da Escola Secundária Pinheiro e Rosa
Designer gráfico: Tiago Gonçalves

Comentários

pub
pub