Polícia Marítima salva cavalos-marinhos presos em arte ilegal na Ria Formosa

Cavalos-marinhos foram resgatados de uma arte de pesca ilegal conhecida por arrasto de vara

Créditos: FBH@CCMAR

A Polícia Marítima salvou vários exemplares de cavalo-marinho, uma espécie em vias de extinção, numa arte de pesca proibida, conhecida localmente por arrasto de vara, que apreendeu na Ria Formosa, em Olhão. A embarcação que lançou esta arte fugiu.

Durante uma operação, realizada na noite de 23 de Setembro, a Polícia Marinha detetou uma embarcação a usar uma arte de pesca proibida. Apesar de não ter conseguido intercetar o barco, que se colocou em fuga, foi possível capturar a rede, dentro da qual estavam «diversas espécies, com um peso estimado de 12 quilos».

Dentro da arte ilegal, estavam exemplares de cavalo-marinho, que forma «imediatamente devolvidos, ainda com vida, ao seu habitat natural, juntamente com as outras espécies capturadas».

A investigação para identificar a utilizada na prática da infração já está a decorrer.

«Estes comportamentos são punidos como contraordenação, com coima de 598,56 a 37.409,84 euros, sem prejuízo da eventual responsabilidade criminal, no caso de captura de espécies protegidas.

Comentários

pub
pub