Dieta Mediterrânica é «determinante para a preservação das paisagens do país»

«Dieta Mediterrânica é muito importante do ponto de vista dos produtos e produções, mas é determinante para a preservação das paisagens», disse Miguel Freitas

A Dieta Mediterrânica é «determinante para a preservação das paisagens alimentares e florestais do país» defendeu ontem, na abertura da feira dedicada àquele tema, em Tavira, o secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural.

Miguel Freitas acrescentou que «na paisagem alimentar do Algarve está a ocorrer uma transformação que parece que é lenta, mas vai ser irreversível», e que se manifesta sobretudo «nos regadios», com a proliferação de estufas e outros sistemas de agricultura super intensiva.

Ora, defendeu o governante, há que «fazer as nossas escolhas», para saber se o que se quer é isso ou «a preservação da paisagem do pomar de sequeiro tradicional do Algarve». «Temos que estudar isso», exortou.

Na abertura da sexta edição da Feira da Dieta Mediterrânica, que está a decorrer até domingo na zona ribeirinha de Tavira, a questão do impacto da agricultura e da floresta superintensiva na paisagem é bem pertinente, já que é a paisagem e o que nela se faz e cultiva um dos suportes mais visíveis da Dieta Mediterrânica.

«Se há ideia que pode projetar o país a nível internacional é a Dieta Mediterrânica», frisou também o secretário de Estado, recordando a recente criação de um Centro de Competências da Dieta Mediterrânica, que junta os inúmeros organismos ligados à questão.

Por seu lado, Jorge Botelho, presidente da Câmara de Tavira, cidade que é a comunidade representativa de Portugal no conjunto de países que integra a DM enquanto Património da Humanidade, sublinhou que «há já um longo caminho feito» na valorização desta que é mais do que uma soma de comeres e saberes, um modo de vida.

«Nesta feira não há só empresários, empreendedores, artesãos e agricultores de Tavira. Há aquilo que de mais genuíno se faz em Tavira, no Algarve, em Portugal», acrescentou o autarca.

Hoje, o cabeça de cartaz em termos de espetáculos será o andaluz Diego el Cigala (22h30), seguindo-se Carminho (sábado, dia 8) e Agir (dia 9, domingo). Mas ao longo destes quatro dias de feira há 40 espetáculos de diversas índoles, e em espaços diferentes da cidade, bem como bailes onde se pode aprender danças das diversas margens do Mediterrâneo.

O programa completo da VI Feira da Dieta Mediterrânica pode ser consultado aqui.

 

Fotos: Elisabete Rodrigues | Sul Informação

 

Comentários

pub
pub