Câmara Municipal de Lagos aprova Moção de Apoio aos pescadores e às empresas da pesca da sardinha

A Câmara de Lagos invoca estudos e a tradição do concelho ligada à pesca da sardinha

Créditos: DepositPhotos

Manter em 2019 a quota estipulada para a pesca da sardinha que vigorou em 2018 e aumentar o apoio e financiamento aos pescadores através do programa comunitário MAR 2020 são as principais reivindicações dos pescadores e das empresas da pesca da sardinha a que o Município de Lagos manifestou o seu apoio institucional, através da Moção aprovada na quinta-feira, por unanimidade, em reunião de executivo municipal.

Lagos junta-se assim à tomada de posição política recente e primeiramente assumida pelos Municípios de Peniche e da Nazaré, que já tinham feito aprovar nos seus órgãos moção idêntica.

Esta decisão teve como fundamentos, entre outros, «o conhecimento de estudos objetivos e credíveis que evidenciam aumentos muito relevantes no que se refere à biomassa da sardinha na nossa costa, assim como a defesa dos hábitos alimentares e culturais enraizados na gastronomia dos portugueses e a preocupação com a salvaguarda do equilíbrio socioeconómico no seio da comunidade piscatória, tão importante na economia local, regional e nacional».

Acresce a «tradição que Lagos tem relativamente à pesca tradicional e à indústria conserveira, patente na ainda existente Arte da Xávega (a que o Município também declarou o seu apoio), a que se soma um ressurgir da indústria com a implementação no concelho da maior fábrica de congelados de pescado e moluscos da Península Ibérica».

Esta posição vai ser comunicada ao primeiro-ministro, à ministra do Mar, à ANMP -Associação Nacional de Municípios Portugueses, à AMAL – Comunidade Intermunicipal do Algarve e à Assembleia Municipal de Lagos, assim como aos municípios com porto de pesca.

Comentários

pub
pub