Boa primeira parte e ondas mexicanas não chegaram para Portugal vencer a Croácia

26355 espectadores assistiram ao embate entre o campeão europeu de futebol (Portugal) e a vice-campeã mundial (Croácia)

Houve festa nas bancadas, com direito às famosas ondas mexicanas, mas Portugal empatou com a Croácia (1-1), em jogo de preparação disputado esta quinta-feira, 6 de Setembro, no Estádio Algarve.

O jogo começou a ritmo frenético, com Portugal a procurar o golo desde cedo. Logo aos 4 minutos, Cancelo subiu pela direita, cruzou para a pequena área, mas Bruma, que até conseguiu fugir ao defesa, rematou, já em esforço, à figura do guarda-redes Kalinic.

O mesmo Bruma, passados quatro minutos, driblou uma série de adversários até chegar à entrada da área, onde passou a bola para Bernardo Silva. O extremo do Manchester City rematou colocado, mas Kalinic defendeu.

Na outra baliza, Rui Patrício foi chamado a intervir, aos 10 minutos, fazendo uma grande defesa a remate de Kovacic. E acabaria mesmo por ser a Croácia a inaugurar o marcador, aos 17 minutos.

Tudo começou numa perda de bola de Ruben Neves, ainda no meio campo defensivo. Depois, o tridente Perisic – Kovacic – Ljaca tratou de chegar à baliza de Rui Patrício. Perisic deu a machada final na jogada, com um remate forte, sem hipóteses para o guardião português.

Portugal, que até tinha começado bem o jogo, acusou um pouco o golo e o próprio ritmo da partida baixou de intensidade. Ainda assim, a seleção nacional chegou ao empate, à passagem do minuto 32. Pizzi cruzou e Pepe, a cumprir o jogo 100 por Portugal, cabeceou para o fundo das redes.

    Ao longo da primeira parte, a equipa das quinas foi sempre melhor, continuou a carregar depois do golo, principalmente com as investidas de Bernardo Silva, e teve uma oportunidade soberana para marcar já no período de descontos.

    William Carvalho galgou metros com a bola controlada, passou para André Silva mas o avançado português, apenas com um defesa pela frente, rematou muito ao lado para desespero dos milhares de adeptos portugueses nas bancadas.

    Ao contrário do início da primeira parte, a segunda começou sem tanto frenesim e oportunidades de golo. O único lance digno de registo ocorreu aos 46 minutos, com Perisic, na pequena área, a cabecear à figura de Patrício.

    A saída de Bernardo Silva, para entrada de Gelson, retirou algum fulgor ao lado direito de Portugal e mesmo Bruma, em evidência no primeiro tempo, caiu de rendimento.

    Só aos 76 minutos, o perigo voltou a rondar as balizas. Mário Rui, que jogou a defesa esquerdo, cruzou e a bola foi ao poste, após desvio em Milic.

    No final do encontro, Portugal aumentou a pressão em busca do golo. Aos 83, João Cancelo, sempre muito ativo nas tarefas ofensivas, cruzou rasteiro para a entrada da área, mas André Silva rematou… para a bancada.

    Portugal fez por ganhar o jogo, principalmente na primeira parte, mas mantém-se o registo de nenhuma derrota em todos os jogos que já disputou no Estádio Algarve.

    A seleção das quinas tem novo encontro marcado para esta segunda-feira, 10 de Setembro, frente à Itália, a contar para a Liga das Nações, no Estádio da Luz.

     

    Fotos: Nelson Inácio | Sul Informação

    Comentários

    pub
    pub