Algarve continuou com menos turistas, mas com mais proveitos em Julho

A descida das dormidas e do número de hóspedes só não é mais acentuada devido ao crescimento do número de turistas portugueses, no Algarve

O Algarve voltou a ter menos turistas em Julho do que no mesmo mês do ano anterior. Ainda assim – como tem sido, de resto, a tendência desde o início do ano – os proveitos das unidades hoteleiras da região subiram e há mais portugueses a escolher as terras algarvias para passar férias.

Os dados mensais do Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre a atividade turística foram conhecidos ontem, segunda-feira. Neles, saltam à vista a diminuição de 2,8% e de 3,2%, respetivamente, no número de hóspedes e no número de dormidas.

A arrastar este indicador para baixo está o decréscimo do número de dormidas de turistas estrangeiros, que já acontece «desde Fevereiro», como salientou ontem a Associação Hotelaria de Portugal.

E a diminuição do número de dormidas só não é mais acentuada devido ao crescimento da procura de turistas nacionais. «Face ao ano anterior, em Julho as dormidas de turistas portugueses no destino cresceram 5,9%, uma performance destacada pelo INE. Se juntarmos os resultados dos primeiros sete meses do ano, as dormidas de residentes registam já um aumento acumulado de 6,6% (+135 mil dormidas)», salientou a Região de Turismo do Algarve (RTA).

«O mercado interno apresenta, assim, um ano em crescimento no maior destino turístico português, por oposição às dormidas dos não residentes, que diminuíram 6,5% em Julho e 4,5% desde o início do ano (-386 mil dormidas), acompanhando a tendência sinalizada pelo INE para o país», acrescentou a mesma entidade.

Na visão da RTA, «o indicador mais positivo para a região», de entre os divulgados pelo INE, é crescimento homólogo dos proveitos nos estabelecimentos hoteleiros, tanto os totais como os de aposento, no Algarve. No primeiro caso, os proveitos ascenderam aos 186,7 milhões de euros, mais 3,2% do que no mesmo mês do ano anterior. Os proveitos de aposento fixaram-se nos 144,4 milhões de euros, um aumento de 1,9%.

Desde o início do ano, «o Algarve acumula proveitos totais na ordem dos 569 milhões de euros (+4,6%), mais de 10,4 milhões de dormidas (-2,3%) e perto de 2,4 milhões de hóspedes (-0,3%)».

Comentários

pub
pub