IPMA volta a alertar: temperaturas podem ultrapassar os 45ºC

Temperaturas extremas deverão baixar um pouco a partir de domingo ou segunda-feira

Até ao dia 6 de Agosto, segunda-feira próxima, a temperatura máxima do ar, em grande parte do território do Continente, irá registar valores da ordem de 40°C, mas, a partir de amanhã e até sábado, naquele que será «o período mais crítico», em vários locais do Alentejo, vale dos rios Douro e Tejo e na Beira Baixa, «a temperatura máxima poderá chegar aos 45°C e, num ou outro local, ultrapassar este valor».

O novo alerta acaba de ser divulgado pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que anuncia que «os valores da temperatura mínima serão também muito elevados, atingindo valores próximos de 25°C em grande parte do território», mas aproximando-se até dos 30°C «em alguns locais do interior Centro e Sul, em especial no Alto Alentejo».

Para que não se diga que isto nunca aconteceu, o IPMA recorda que «esta situação meteorológica é comparável à situação meteorológica de Agosto de 2003 em Portugal Continental».

Nessa onda de calor de 2003, «registaram-se igualmente valores muito elevados da temperatura mínima e da temperatura máxima, fixando-se um novo máximo absoluto relativo à temperatura máxima, com 47,3°C, na Amareleja, no dia 1 de Agosto» desse ano.

O IPMA anuncia também que, depois desta nova situação de calor extremo, «a partir de dia 6, a temperatura deverá registará uma descida nas regiões do litoral oeste e, gradualmente, nas regiões do interior nos dias seguintes, mas mantendo valores da ordem de 35°C ou mais, em muitos locais do interior até final da próxima semana.

Aquele organismo, chama ainda a atenção para o «transporte de poeiras do Norte de África», que já está a afetar a região sul a partir de hoje, dia 1 de Agosto, «traduzindo-se num tom amarelado do céu».

«Tendo em conta que, de um modo geral, a zona de conforto térmico se situa entre os 18° e os 26°C (humidade relativa do ar entre 30 e 70%), o calor extremo previsto para o período de 2 a 6 de Agosto originará situação de grande desconforto térmico», conclui o IPMA.

Comentários

pub
pub