Onda de calor põe Algarve sob aviso laranja e obriga a cuidados especiais

Exército vai reforçar apoio à Proteção Civil na prevenção de incêndios

O Algarve vai estar sob aviso amarelo, emitido pelo Instituto Português do Mar e Atmosfera, devido às altas temperaturas, esta quarta-feira, enquanto, na quinta, o nível será elevado para laranja. Já o distrito de Beja estará sob aviso laranja a partir de amanhã e sob aviso vermelho entre quinta-feira e pelo menos as 16h00 de sexta-feira. Por seu lado, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) coloca o distrito de Faro em alerta laranja a partir da meia-noite de quarta-feira e também emitiu esta tarde um aviso à população.

Além das temperaturas elevadas durante o dia, com temperaturas máximas de 35ºC na generalidade do território, com valores superiores a 40ºC no Alentejo, Vale do Tejo e Beira Baixa, estão previstas “noites tropicais”, em que os termómetros não vão baixar dos 20º, sendo que, em alguns locais, podem ser superiores a 25º.

Segundo a ANPC, estão também «reunidas condições para a ocorrência de situações de instabilidade atmosférica, sendo estas mais prováveis a partir da tarde de 2 de Agosto».

O aviso emitido explica que as condições atmosféricas «configuram a ocorrência de índices de risco de incêndio muito elevados na região do Algarve e no interior Norte e Centro e elevados/muito elevados no Baixo Alentejo, com agravamento previsto nas próximas 48 horas para o Sotavento algarvio, esperando-se o aumento gradual do número de concelhos com risco máximo».

As condições atmosféricas levaram à subida do nível de alerta especial dos meios humanos e materiais disponíveis e vão levar a que os militares da Marinha e do Exército reforcem o apoio à ANPC com mais 19 patrulhas, em todo o país, num total de mais 76 militares que serão empenhados entre as 8h00 desta quarta-feira e as 20h00 do dia 5 de Agosto, domingo.

Este reforço tem como objetivo «o incremento das ações de patrulhamento dissuasor no período referido, podendo estas ações ser prolongadas no tempo, caso a previsão meteorológica assim o justifique», explica o Estado Maior General das Forças Armadas, em comunicado.

Patrícia Gaspar, segunda comandante operacional nacional da ANPC, disse esta tarde que irá existir «um agravamento do risco dos incêndios rurais e da temperatura do ar».

A humidade do ar deve diminuir e em vários pontos do país deverá rondar os 20%, «com a agravante de que não «é expectável que exista recuperação noturna», algo «preponderante» para ajudar no combate a eventuais incêndios.

A ANPC recorda que, devido às elevadas temperaturas, de acordo com a lei em vigor, não é permitido realizar queimadas, fogueiras para recreio ou lazer ou para confeção de alimentos, utilizar equipamentos de queima e de combustão destinados à iluminação ou à confeção de alimentos, queimar matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração, lançar balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes, fumar ou fazer lume de qualquer tipo nos espaços florestais e vias que os circundem, fumigar ou desinfestar apiários com fumigadores que não estejam equipados com dispositivos de retenção de faúlhas.

A entidade aconselha também a ter cuidados especiais durante a realização de trabalhos agrícolas e florestais, como a manutenção das máquinas e equipamentos limpos de óleos e poeiras, o abastecimento das máquinas a frio e em local com pouca vegetação e especial atenção a faíscas durante o seu manuseamento, evitando a sua utilização nos períodos de maior calor.

Além disso, acrescenta a ANPC, «a exposição ao calor intenso pode produzir efeitos negativos na saúde, sendo as crianças, os doentes crónicos e as pessoas idosas particularmente vulneráveis», pelo que são aconselhados cuidados redobrados com estes grupos.

Neste ponto, a Direção Geral de Saúde aconselha a procurar ambientes frescos (preferencialmente climatizados), a evitar que o calor entre dentro das habitações, correndo as persianas ou portadas, mas mantendo o ar circulante dentro de casa.

É também aconselhada a ingestão de água ou sumos de fruta natural sem açúcar e deve evitar-se o consumo de bebidas alcoólicas.

Segundo a DGS, deve também ser evitada a exposição direta ao sol, principalmente entre as 11h00 e as 17h00, devendo ser utilizada roupa solta de algodão, que cubra a maior parte do corpo, chapéu de abas largas e óculos de sol.

Deve ainda ser utilizado protetor solar com fator superior a 30 e deve ser renovada a sua aplicação de 2 em 2 horas. Viajar de carro também não é aconselhado nas horas de maior calor, não se devendo sinda permanecer dentro de carros estacionados e expostos ao sol.

As atividades que exigem grandes esforços físicos também devem ser evitadas.

Por outro lado, a qualidade do ar vai piorar devido à entrada de poeiras provenientes do Norte de África, a partir desta quarta-feira.

 

Comentários

pub
pub