Associação dos Faroleiros já tem os seus primeiros órgãos sociais

As primeiras eleições e a posterior tomada de posse dos órgãos sociais da ASPFA – Associação Sócio-Profissional dos Faroleiros tiveram […]

As primeiras eleições e a posterior tomada de posse dos órgãos sociais da ASPFA – Associação Sócio-Profissional dos Faroleiros tiveram lugar no dia 30 de Junho, no Clube do Sargento da Armada, em Lisboa.

As eleições, que contaram com bastante adesão por parte dos sócios, deram como vencedora a única lista que se propôs a sufrágio.

A seguir à tomada de posse, deu-se a nomeação dos Delegados Regionais e o discurso do novo presidente da Direção Nacional da ASPFA.

Na sua alocução, Jorge Estêvão apresentou os objetivos sócio-profissionais e culturais desta direção agora eleita, bem como foram mencionados alguns pontos aos quais a nova direção irá prestar mais atenção.

Trata-se de questões que, segundo explica a associação, «têm causado bastante desconforto e até dificuldades, ao longo das últimas décadas, no dia a dia de todo o efetivo destes militarizados de Marinha, que, prestando serviço integralmente na Autoridade Marítima Nacional, se veem renegados para segundo plano nas questões relacionadas com a atribuição das verbas compensatórias (emolumentos), carga horária desmesurada e redução do efetivo em todos os faróis».

Há ainda várias outras «questões de longa data por resolver com a tutela, como o subsídio de condição de militarizado, destacamentos do pessoal, ou a questão dos reformados».

«Estes são apenas alguns exemplos dos problemas a que esta profissão tem vindo a ser sujeita, sem a tutela dar algum tipo de resposta ou demonstrar apetência em os tentar resolver», salienta a ASPFA – Associação Sócio-Profissional dos Faroleiros.

Comentários

pub
pub