Aroma da sardinha assada volta a Portimão para novo festival

Sardinhas assadas, animação e música, com Matias Damásio e Raquel Tavares, compõem novo Festival

O aroma da sardinha assada vai voltar a “invadir” a Zona Ribeirinha de Portimão, de 1 a 5 de Agosto, para um novo festival. Matias Damásio, Raquel Tavares e Ana Bacalhau são nomes fortes do cartaz do certame. 

«Um dos mais emblemáticos festivais gastronómicos do país, cuja primeira edição remonta a 1985, volta a ter lugar na zona ribeirinha da cidade, com cinco noites de festa onde será possível degustar a afamada sardinha assada em pão caseiro ou no prato acompanhada com a batata cozida e a salada à Algarvia», diz a Câmara de Portimão.

O certame também terá exposições, artesanato, doçaria, animação de rua e muita música, passando ainda pelo teatro e pela tradicional Feira do Livro.

Segundo a Câmara de Portimão, «o evento, que em 2017 atraiu 50 mil visitantes à zona ribeirinha, volta a potenciar os restaurantes mais antigos e tradicionais desta zona da cidade».

Os restaurantes À Ravessa, Casa Bica, Dona Barca, Forte e Feio, O Meco, Retiro do Peixe Assado, Ú Venâncio e Zizá voltam a ser os restaurantes associados, exibindo nas entradas dos seus estabelecimentos a insígnia “Aqui há Sardinha!”, identificação que assegura a sua associação ao Festival.

No total são mais de dois mil lugares sentados, repartidos por oito restaurantes. Para quem deseje, no entanto, experimentar a sardinha assada em pão caseiro, terá novamente à disposição os dois pontos de venda junto à antiga lota, a cargo das duas coletividades locais, GEJUPCE Portimão – Gil Eanes Juventude Portimonense Clube e Boa Esperança Atlético Clube Portimonense.

E quem não gostar de sardinha, também terá menus de petiscos regionais.

A nível musical, o destaque mantém-se no programa de artistas que diariamente, a partir das 22h00, animará todos os visitantes no palco principal, localizado junto à antiga lota.

O cartaz musical arranca no dia 1 de Agosto com o cantor e compositor angolano Matias Damásio, que vem apresentar o seu mais recente trabalho “Por Amor”.

No dia seguinte há tributo aos Xutos & Pontapés, a cargo da banda local Tributo Total, e, no dia 3, atua Raquel Tavares, uma das mais importantes e consistentes vozes do Fado contemporâneo nacional.

Já no dia 4, Ana Bacalhau apresenta-se em nome individual com o álbum “Nome Próprio” e, no último dia, 5 de Agosto, a festa é garantida com o trio The Black Mamba.

Também no coreto haverá animação musical ao longo de todos os dias do festival, numa iniciativa a cargo da Junta de Freguesia de Portimão, com sonoridades que vão desde o fado à música popular e aos blues.

Entre 1 e 5 de Agosto, das 19h30 às 21h30, subirão ao palco do Coreto os artistas Box of Blues (dia 1), Renato Reis (dia 2), Fernando Siqueira (dia 3), Tiborna de Cantigas (dia 4) e a Escola de Fado do Boa Esperança (dia 5).

Durante os cinco dias de festival, a baixa da cidade, entre a Alameda da Praça da República e a Zona Ribeirinha de Portimão, será ainda animada por artistas e associações culturais locais que assegurarão a animação de rua e do eixo dos restaurantes tradicionais, com teatro, dança, música e folclore.

O artesanato, petiscos e doçaria regionais têm presença obrigatória neste evento que conta com a participação de três dezenas de expositores, que prometem trazer até Portimão o melhor que o artesanato e o setor agroalimentar regionais podem oferecer.

No decorrer do Festival da Sardinha, e ao longo da Zona Ribeirinha de Portimão, também pode visitar a 61ª edição da Feira do Livro, que decorre até 24 de Agosto, passando pelas gargalhadas asseguradas com a peça de teatro “Insónia”, com Fernando Mendes, que está em cena de 2 a 25 de Agosto, no Teatro Municipal de Portimão.

Também pode visitar a exposição itinerante “A Floresta” que, até 28 de Agosto, pode ser vista na Zona Ribeirinha de Portimão, e as exposições “Brinquedos de Lata Portugueses” e “Gentes da Terra e do Mar” que podem, de igual forma, ser visitadas em período noturno, a partir também do dia 1 de Agosto, no Museu de Portimão.

A chegada ao Festival da Sardinha poderá ser feito de diversas formas. Quem se deslocar de carro, poderá estacionar no Largo do Dique (5 minutos a pé), nos parques cobertos na Alameda (10 minutos a pé) e no Largo 1º de Maio (5 minutos a pé), na zona “Entre Pontes” (2 minutos a pé) e no Parque de Feiras e Exposições (10 minutos a pé).

O Vai e Vem – Circuito Urbano de Portimão – é outra das hipóteses para chegar ao Festival da Sardinha, para quem se desloca entre a Zona Ribeirinha e a Praia da Rocha, através da Linha noturna 3N que assegura a ligação Largo do Dique/Fortaleza (Praia da Rocha).

O Festival da Sardinha começa pelas 19h00 e encerra diariamente à 01h00. O acesso é livre.

O Festival da Sardinha 2018 é uma organização da Câmara Municipal de Portimão, em parceria com a APS – Administração dos Portos de Sines, a Junta de Freguesia de Portimão, e a EMARP – Águas e Resíduos de Portimão, com o patrocínio da Sagres, Delta Cafés, No Solo Água Portimão e Socialgar Seguros, e o apoio do Turismo do Algarve. O Festival tem ainda como rádio oficial a Alvor FM.

Toda a programação do Festival da Sardinha pode ser consultada aqui.

Comentários

pub
pub