“Dias das Virgens Negras” e “Concerto ao Entardecer” animam fim de semana em Vila do Bispo

O projeto “Dias das Virgens Negras, no sábado, 16 de Junho, na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, na Raposeira, […]

O projeto “Dias das Virgens Negras, no sábado, 16 de Junho, na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, na Raposeira, e um “Concerto ao Entardecer”, com Beatriz Pessoa, no domingo, dia 17, na Fortaleza de Sagres, vão animar o concelho de Vila do Bispo. 

“Dias das Virgens Negras” encontra-se a decorrer na Ermida de Guadalupe. No dia 15 de Junho, das 16h00 às 18h30, irá acontecer a 2ª oficina de cântico por Carme Juncadella e no dia 16 de Junho, das 10h30 às 13h00, irá acontecer a oficina de movimento por Catarina Costa e Silva, a partir do El Llivre Vermell de Monserrat.

As oficinas são gratuitas e estão sujeitas a inscrição: associacaoocorvoearaposa@gmail.com ou pelo 914016037.

“Dias das Virgens Negras” é um projeto de “O Corvo e a Raposa – Associação Cultural” que pretende ser uma homenagem artística às Virgens Negras no Mundo. Integra um conjunto de workshops, culminando no dia 16 de Junho, com um espetáculo final “A Virgem Negra de Monserrat”, um concerto encenado sobre o códice medieval El Libre Vermell de Monserrat, agendado para as 19h00.

A proposta de oficina de movimento, com Catarina Costa e Silva, visa a vivência de movimentações conjuntas, coletivas intemporais e universais, associadas a atos de celebração e júbilo.

A partir do Llivre Vermell, este espetáculo vai ser uma recriação livre, dado que não existe nenhuma certeza sobre a maneira como estas danças se dançavam.

«Acreditamos que a aproximação mais fiel a estas danças foi feita pelo Padre Gregori Estrada, ele mesmo um padre de Montserrat na década de 70 do século passado que, estudando determinados manuscritos, encontrou uns grafismos (até então considerados manchas ou defeitos) que considerou como indicações coreográficas», diz a Direção Regional de Cultura do Algarve.

O workshop serve para as pessoas vivenciarem esta experiência coletiva de forma mais profunda e integral, promovendo a vivência musical através do movimento durante o espetáculo.

O espetáculo final “A Virgem Negra de Monserrat” convida o espetador a participar numa experiência como peregrino, desde a chegada ao templo, onde partilha com outros a narração dos milagres da Virgem, até ao interior do templo, onde pode expressar a sua devoção e pregarias a Montserrat, até depois do ofício, fora do templo, onde pode dançar e desfrutar da convivência na fé com os outros peregrinos.

Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe

Esta iniciativa assume assim uma espécie de peregrinação interna dentro do templo de Guadalupe, em homenagem a Montserrat.

Começará na zona da entrada, na estrada, onde o público será acolhido com algumas ofertas gastronómicas, e, de seguida, haverá lugar a uma procissão para o templo, compartilhando cânticos sobre os milagres da Virgem.

Finalmente, dentro da Capela, haverá cânticos religiosos marianos, terminando, na rua, com a celebração dançada.

Já o ciclo “Concertos ao Entardecer” terá como convidada “Beatriz Pessoa”, num espetáculo a acontecer na Fortaleza de Sagres no dia 17 de Junho, às 18h00.

“Os nomes que vamos encontrar nos próximos anos”. Foi este o título escolhido pelo suplemento Ípsilon (Público) que inclui Beatriz Pessoa como artista consistente e a seguir de perto nos próximos anos. Os media apostam em 2018 como o ano de Beatriz Pessoa.

“Concertos ao Entardecer” é um projeto da Arquente Associação. Dias das Virgens Negras” e “Concertos ao Entardecer” são projetos integrados no programa DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos – organizado pela Direção Regional de Cultura do Algarve.

Comentários

pub