Albufeira captada pela lente de Artur Pastor já se está a mostrar

Albufeira, como foi captada pela lente do fotógrafo Artur Pastor, já pode ser vista desde sábado, no Arquivo Histórico e […]

Albufeira, como foi captada pela lente do fotógrafo Artur Pastor, já pode ser vista desde sábado, no Arquivo Histórico e no Museu de Arqueologia desta cidade. A exposição «Albufeira por Artur Pastor» poderá ser visitada até ao dia 16 de Dezembro.

Esta mostra é «uma justa homenagem» pelo legado que o já falecido Artur Pastor deixou a Albufeira, «terra com a qual estabeleceu uma relação muito especial», segundo a Câmara albufeirense.

Quem visitar a exposição, pode contar com duas experiências distintas, cada qual no seu espaço. No Museu Municipal, as 35 fotografias, tiradas nas décadas de 40-60 e 80, são subordinadas ao tema “O Mar e as suas Gentes”. Neste local, também será possível assistir ao documentário “A Paisagem de Artur Pastor” de 2014, realizado por Fernando Carrilho.

As imagens que compõem esta parte da mostra captam «a fauna piscatória, o espírito marítimo das gentes de Albufeira e o ambiente turístico da época, permito-nos ver a dureza e a verdade de uma vida de pesca e o tipo de relação que os turistas estabeleciam com as praias de Albufeira e do Algarve, percebendo-se nas suas fotografias a harmonia existente nestas duas realidades com sentidos tão distintos».

O núcleo expositivo que foi instalado no Arquivo Histórico de Albufeira é subordinado ao tema “Locais com História” e conta com 42 fotografias, tiradas entre 1940 e 1990. Inclui, igualmente, exemplares do álbum “Algarve”, de Artur Pastor de 1965 e do catálogo da exposição “Motivos do Sul”, de 1946. Aqui, Pastor «capta o quotidiano urbano de Albufeira, ao longo de várias décadas».

As fotografias que integram a exposição dão a conhecer uma Albufeira há muito desaparecida. Afinal, já passaram quase sete décadas desde que Artur Pastor captou, pela primeira vez, imagens desta localidade algarvia. Desde então, nunca mais deixou de ter ligação a esta cidade, onde comprou casa na década de 60.

A inauguração da exposição “Albufeira por Artur Pastor”, que contou com a presença dos filhos (Artur e Luís Pastor) e da mulher (Rosalina Pastor) do fotógrafo, foi, de resto, muito participada. No sábado, mais de uma centena de pessoas estiveram no Arquivo Histórico, para assistir ao lançamento da mostra e assinalar o Dia Internacional dos Arquivos.

Alguns dos presentes «guardam ainda memórias do dia-a-dia de Artur Pastor em Albufeira, nomeadamente vários pescadores que recordaram com carinho o riso e a boa disposição do artista», salientou a autarquia. E nem faltou um dos modelos mais famosos, a então menina Ália Jacinto, que foi retratada nos anos 60, encostada a um muro, na Rua da Igreja Velha.

A exposição foi realizada no âmbito de uma parceria entre o Município de Albufeira e o Arquivo Municipal de Lisboa – Núcleo Fotográfico, detentor do espólio do fotógrafo desde 2001, e conta com a colaboração de Artur Pastor (Filho).

 

Quem era Artur Pastor:

Artur Pastor em ação, fotografado por Artur Pastor (filho)

Artur Pastor (Alter do Chão, 1 de Maio de 1922 — 17 de Setembro de 1999), foi um fotógrafo português.

Termina o curso de Regente Agrícola em Évora, na Herdade da Mitra, em 1942. O primeiro trabalho de fotografia que faz foi para ilustrar a sua tese final. Foi nessa altura que descobriu o gosto pela fotografia que o fascinaria até ao fim da sua vida.

Em Évora, onde vive na altura, envolve-se em inúmeros projetos e começa a apresentar trabalhos seus em publicações ilustradas, postais, selos e cartazes.

Durante este período inicial da sua vida artística, colabora em diversos jornais do Sul do País com artigos de opinião e de cariz literário.

No início dos anos cinquenta, vai trabalhar para os serviços do Ministério da Agricultura em Montalegre. Naquela época, tenta formar, em Braga, uma associação fotográfica. Em 1953, vai viver para Lisboa. Nesta cidade, passa a fazer parte do Foto Clube 6×6.

Pertenceu aos quadros do Estado durante cerca de trinta anos, como Engenheiro Técnico Agrário. Ao longo destes anos, foi responsável pela obtenção e organização das mais de 10 000 fotos que compõem a Fototeca da Direção Geral dos Serviços Agrícolas.

Paralelamente, colaborou com outros organismos ligados à agricultura, como as Juntas Nacionais do Azeite, do Vinho, das Frutas e a Federação Nacional dos Produtores de Trigo, entre outros.

Pelo serviço prestado enquanto fotógrafo do Ministério da Agricultura, foi-lhe atribuído o grau de Oficial da Ordem de Mérito Agrícola e Industrial (Classe do Mérito Agrícola).

Registou milhares de fotografias por solicitação dos mais diversos organismos oficiais e grandes empresas, sobretudo no campo da agricultura e turismo.

Colaborou, com centenas de fotografias, em exposições oficiais e feiras, no país e no estrangeiro. Participou em Salões Nacionais e Internacionais de Fotografia. Nos Salões Nacionais, obteve, com regularidade, os primeiros prémios.

 

Horários:
Arquivo Histórico| «Locais com história»: 9h00 – 17h00 (segunda a sexta-feira)
Museu Municipal de Arqueologia de Albufeira | «O mar e as suas gentes»: 9h30 – 17h30 (terça-feira a domingo)

Comentários

pub
pub