RTA apela à participação na consulta pública contra o petróleo

A Região de Turismo do Algarve (RTA) apela à participação de todos na consulta pública contra prospeção e exploração de […]

Crédito: Depositphotos

A Região de Turismo do Algarve (RTA) apela à participação de todos na consulta pública contra prospeção e exploração de hidrocarbonetos que decorre até 16 de Abril. 

Em comunicado, a RTA «repudia mais uma vez a prospeção e exploração de hidrocarbonetos ao largo de Aljezur, exigindo uma Avaliação de Impacto Ambiental (AIA) por parte da Agência Portuguesa do Ambiente (APA)».

A RTA volta assim a exigir a suspensão imediata dos contratos de prospeção e exploração de petróleo ao largo da Costa Vicentina, considerando «imprescindível» a realização de uma Avaliação de Impacto Ambiental.

«Em causa está a utilização de substâncias tóxicas e métodos que podem ser prejudiciais para a saúde humana e para o meio ambiente, elevando os riscos sísmicos, o impacto no quotidiano e na fixação da população e ainda o impacto nefasto no turismo, o setor de atividade de maior relevância para a economia do Algarve e do país, com grande enfoque para o turismo de natureza».

O Algarve «pretende continuar a ser um destino natural que prima pela segurança, pela qualidade das suas infraestruturas e pela excelência da sua oferta», explica a RTA. A Avaliação de Impacto Ambiental também é «essencial para avaliar as implicações climáticas, no aquecimento global, e no compromisso do Governo com a descarbonização».

«O Turismo do Algarve apela a todos os algarvios e a todos os portugueses que participem ativamente nesta consulta pública para impedir que este projeto altamente poluente e perigoso possa pôr em risco os ecossistemas e a qualidade de vida na Região», reforça Desidério Silva, presidente da RTA.

Depois de duas consultas públicas em que 42 mil pessoas e os autarcas se expressaram negativamente sobre este projeto, por contínua pressão de diversas entidades como a RTA, o Governo abriu uma terceira consulta pública para determinar a necessidade de uma AIA.

Os documentos em consulta pública estão disponíveis online, no site Participa.pt, através do qual também se pode deixar sugestões (é necessário registo).

Este sábado, 14 de Abril, às 15h00, realiza-se uma manifestação pelo cancelamento do furo de prospeção de petróleo, ao largo de Aljezur. A marcha parte da Praça Luís de Camões, rumo à Assembleia da República, via Calçada do Combro.

No final, no Largo de São Bento, estão previstos breves discursos por parte dos organizadores a par com atuações musicais. É um evento nacional e juntará na capital pessoas provenientes de todo o país, de diversos setores de atividade e de diferentes espectros políticos.

Comentários

pub
pub