Novo circo “Bestias” é a «pérola» do Lavrar o Mar em forma de poema

Pela dança e pelo movimento também se faz poesia. “Bestias” é um «poema», em forma de espetáculo, que vai falar […]

Créditos: François Passerini

Pela dança e pelo movimento também se faz poesia. “Bestias” é um «poema», em forma de espetáculo, que vai falar da relação ancestral entre os humanos e os animais, no Campo de Futebol António Nobre, nos Malhadais, em Odeceixe (Aljezur). «Esta é a pérola da programação do Lavrar o Mar», considera, sem hesitar, Giacomo Scalisi. 

O responsável, em conjunto com Madalena Victorino, por este programa cultural, que faz parte do “365Algarve”, falou com o Sul Informação, antes de o espetáculo estrear a 24 de Abril, às 21h00.

“Bestias”, referiu, «faz parte do circo contemporâneo e do novo circo em particular, com esta estética que vem de França».

A companhia responsável é a “Baro d’Evel”, um conjunto «histórico que, ao longo de mais 20 anos, tem feito um trabalho muito interessante na relação desta ideia dos animais dentro do novo circo», explicou Giacomo Scalisi ao nosso jornal.

Todo o espetáculo é «muito fora do comum». E porquê? Porque trata de uma questão tão na ordem do dia: «a relação que temos, humanos, com os animais, e que tem de ter uma mudança muito forte e concreta devido às tendências que estamos a percorrer de destruição da terra», considerou o programador cultural.

Créditos: Ian Grandjean.

Em palco vão estar dois cavalos (o Bonito e o Shengo) e os pássaros Gus, Zou, Farouche e Midinette, além de bailarinos, acrobatas e músicos. Mas engane-se quem pensa que este é um daqueles espetáculos de circo em que os animais são usados como objeto.

«Aqui não fazem números. Os animais são parte do elenco, são bem tratados e têm dignidade, algo que, muitas vezes, na vida quotidiana não têm», disse Giacomo.

Por isso, não é de estranhar que o programador cultural não tenha medo algum de possíveis reações menos positivas devido à utilização de animais no espetáculo. «Preocupado? Não estou. Bem pelo contrário. Quero que todos venham ver porque assim descobrem como é possível mudar esse paradigma dos animais no circo tradicional. Aqui há uma valorização do animal. É uma lição para todos».

Tudo se vai passar num género de «tenda primitiva», com 350 lugares, e que tem uma parte dedicada aos cavalos. Aliás, o público para chegar à pista terá de fazer «um percurso» especial. A própria implementação do chapitô faz com que os cavalos tenham liberdade pois não são presos.

Os bilhetes, que custam 7 euros para o público em geral e 5 euros para crianças até aos 12 anos, ainda não estão esgotados e podem ser comprados aqui. O espetáculo realiza-se nos dias 24, 25, 27, 28 e 29 de Abril, sempre às 21h00.

Como forma de facilitar o transporte, haverá autocarro gratuito para portadores de bilhete, no dia 27 de Abril, com partida no Heliporto de Monchique, às 19h00, e regresso às 23h00. Para tal é preciso fazer reserva junto da organização (info@lavraromar.pt ou 913 943 034).

O espetáculo está classificado para maiores de 6 anos, não sendo apropriado para crianças pequenas e é  interdita a entrada após o início do espectáculo. Também é desaconselhado que pessoas que sofram de alergias graves ao feno assistam ao “Bestias”.

 

 

Comentários

pub
pub