Estudo da cerâmica romana em Loulé é tema de workshop no Museu Nacional de Arqueologia

O estudo da cerâmica romana em Loulé é o tema de um workshop a decorrer de 2 a 6 de […]

O estudo da cerâmica romana em Loulé é o tema de um workshop a decorrer de 2 a 6 de Abril, no Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa. 

Esta iniciativa surge no âmbito da parceria desenvolvida pela Câmara Municipal de Loulé, através do Museu Municipal de Loulé, e Museu Nacional de Arqueologia, e que tem como resultado mais visível a exposição “Loulé: Territórios, Memórias, Identidades”, patente ao público no Mosteiro dos Jerónimos.

Este workshop irá decorrer nas férias da Páscoa (de 2 a 6 de Abril, das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h00) e é gratuita e aberta a todos os públicos. O objetivo é «aliar investigação e partilha do conhecimento em torno da cerâmica romana», explica a Câmara de Loulé.

Num contexto de trabalho de laboratório real, arqueólogos da Universidade de Lisboa (UNIARQ) e do Museu Nacional de Arqueologia vão orientar um workshop de carácter prático de Introdução ao Estudo da Cerâmica Romana, onde se ensinam todas as etapas indispensáveis no tratamento e estudo desses materiais nas coleções arqueológicas.

Para esta iniciativa, que pretende também educar dentro de valores de responsabilidade social e fomentar a importância do cidadão e munícipe como construtor e guardião do seu património histórico, o Museu Municipal de Loulé e o Museu Nacional de Arqueologia em parceria disponibilizaram para os trabalhos teórico-práticos parte de uma coleção comum a ambas instituições: a do sítio romano de Loulé Velho.

Este importante sítio romano do concelho e do Algarve «encontra-se atualmente em risco de desaparecer, razão pela qual é ainda mais importante a participação de quem o frequente e o contributo fornecido pelo workshop», considera a autarquia.

O workshop de Introdução à Cerâmica Romana oferece ainda várias sessões teóricas complementares, sob a forma de pequenas aulas e palestras, visitas orientadas aos bastidores/serviços do Museu Nacional de Arqueologia, bem como à exposição “Loulé, Territórios, Memórias, Identidades”.

Em suma, oferece a possibilidade de explorar o mundo romano de Loulé, permite conhecer e aprender em primeira mão como eram as cerâmicas desse período da História e a forma como chegaram ao Algarve de hoje cerâmicas de cozinha, cerâmicas de mesa ou alimentos transportados em ânforas vindos de todo o Império romano, especialmente da atual Andaluzia espanhola, de França, de Itália ou do Norte de África.

A exposição “Loulé: Territórios, Memórias, Identidades”, patente no Museu Nacional de Arqueologia, uma parceria entre a Direção-Geral do Património Cultural, Museu Nacional de Arqueologia e a Câmara Municipal de Loulé, já foi visitada por mais de 120 mil visitantes.

Comentários

pub
pub