Michal Kwiatkowski vence Volta ao Algarve após etapa cheia de emoção

Michal Kwiatkowski, da Sky, ganhou este domingo a etapa e, com isso, a Volta ao Algarve, na difícil chegada ao […]

Michal Kwiatkowski a festejar a vitória na etapa e na Volta – foto: Nelson Inácio|Sul Informação

Michal Kwiatkowski, da Sky, ganhou este domingo a etapa e, com isso, a Volta ao Algarve, na difícil chegada ao Alto do Malhão (Loulé), após uma tirada cheia de emoção e com diversos líderes ao longo dos seus 173,5 quilómetros.

Nos últimos quilómetros, até parecia que seria o checo Zdenek Stybar (Quick-Step Floors) a ganhar a etapa, mas a pouco mais de 2 km o ciclista polaco ultrapassou-o, demonstrando grande frescura física.

Em cima da linha de chegada, o português Ruben Guerreiro ainda tentou a sua sorte na tirada, mas foi mesmo Kwiatkowski quem acabou por cortar a meta em 1º lugar.

Kwiatkowski impôs-se na subida final ao português Ruben Guerreiro (Trek-Segafredo), por quatro segundos, e ao belga Serge Pauwels (Dimension Data), por oito, depois de terem integrado uma fuga bem-sucedida.

Depois de uma prova marcada por constantes reviravoltas na liderança, o ciclista polaco da Sky acabou assim por roubar a camisola amarela ao seu companheiro de equipa, o britânico Geraint Thomas.

O pódio final da Algarvia ficou então assim constituído: Michal Kwiatkowski, em 1º, Geraint Thomas, também da Sky, com mais 1.31 minutos que o seu companheiro, e, a fechar, o norte-americano Tejay Van Garderen (BMC), que foi 3º, a 2.16.

Depois da vitória na edição de 2014, esta é a segunda vez que Michal Kwiatkowski se sagra vencedor da Algarvia.

A decisão da Volta ao Algarve começou a desenhar-se ao quilómetro 15 da tirada, quando um grupo de 31 corredores saiu do pelotão. Nesse grupo, encontrava-se Michal Kwiatkowski, que partia na segunda posição da geral, a 19 segundos do companheiro de equipa Geraint Thomas.

Apesar da presença do polaco, o grupo entendeu-se e conquistou quase 5 minutos de vantagem sobre o pelotão. As equipas com aspirações ao pódio deixaram-se ir no engodo da Sky e contribuíram para que a vantagem dos fugitivos se tornasse inalcançável, fazendo com que a movimentação da formação britânica fosse coroada de sucesso.

Restou aos outros elementos do grupo de frente tentar a vitória de etapa. Os mais combativos foram Lukas Postlberger (Bora-hansgrohe), que atacou em solitário na fase mais ondulada da viagem.

Já depois da primeira passagem no Malhão, o primeiro líder do Giro 2017 recebeu a companhia do campeão checo de fundo, Zdenek Stybar (Quick-Step Floors). Foi o homem da República Checa que mais se aproximou da possibilidade de contrariar o poderio da Sky, entrando isolado na subida final, de 3 quilómetros.

No entanto, Michal Kwiatkowski aproveitou as primeiras rampas da icónica subida louletana para ir ao encontro de Stybar, passando pelo checo e cortando a meta em solitário.

Numa subida de grande qualidade e coragem, Ruben Guerreiro, campeão português de fundo, um dos 31 fugitivos do dia, passou pelos adversários, sendo o segundo classificado na etapa, a 4 segundos de Michal Kwiatkowski. O terceiro, a 8 segundos, foi o belga Serge Pauwels (Team Dimension Data).

À partida para esta que foi a derradeira tirada, Thomas, vencedor em 2015 e 2016, tinha 19 segundos de avanço sobre o polaco Michal Kwiatkowski, seu colega de equipa, e 32 sobre o português Nelson Oliveira (Movistar). Mas essa vantagem não lhe chegou para garantir a amarela.

Nelson Oliveira (Movistar), que era terceiro à partida para esta derradeira etapa, acabou na 10ª posição, a 2.54, mas foi o melhor português da 44ª edição da Volta ao Algarve.

O espanhol Vicente de Mateus, da Aviludo Louletano, que terminou em 17º da Geral, foi o melhor ciclista das equipas portuguesas em prova e, obviamente, também o melhor das formações algarvias. O Sporting-Tavira teve alguns azares e uma prestação muito discreta.

“Foi uma etapa muito rápida e com um final totalmente inesperado. Entrámos na fuga sem verdadeiramente saber se teríamos sucesso. Taticamente fizemos a corrida perfeita. Contei com a ajuda do Golas na fuga e na subida final ao Malhão consegui fazer a diferença. É uma vitória importante e que na véspera das grandes clássicas dá-me confiança sobre o atual estado da minha condição física. O importante hoje era vencer a Volta ao Algarve e conseguimos. Foi uma vitória da equipa”, disse o vencedor da etapa e da Volta.

Além da geral individual, a Team Sky ganhou a classificação coletiva e a Camisola Vermelha Cofidis, que também ficou no corpo de Michal Kwiatkowski. O estadunidense Benjamin King (Team DImension Data) conservou a Camisola Azul Liberty Seguros, símbolo de rei da montanha, e o holandês Sam Oomen vestiu a Camisola Branca Águas do Algarve, de melhor jovem, do primeiro ao último dia.

As dificuldades da etapa começaram ao quilómetro 63, com uma primeira contagem de terceira categoria em Picota, com os ciclistas a terem mais uma subida de semelhante dificuldade, aos 99,6 quilómetros, no Miradouro do Alto da Ameixeira.

Seguiram-se depois as maiores dificuldades da etapa com a primeira passagem, aos 132,6 quilómetros, pelo Alto do Malhão, pequena ascensão de segunda categoria de 2,8 quilómetros, mas com uma inclinação média de 8,9%.

Antes da subida final, os ciclistas ainda tiveram mais uma subida de terceira categoria, em Vermelhos, a pouco mais de 20 quilómetros do final.

 

Classificação da etapa:
1. Michal Kwiatkowski, Pol (Sky), 4:18.02 horas.
(média: 40,344 km/hora)
2. Ruben Guerreiro, Por (Trek-Segafredo), a 04 segundos
3. Serge Pauwels, Bel (Dimension Data), a 08
4. Stefan Kung, Sui (BMC), a 13
5. Cesare Benedetti, Ita (BORA-hansgrohe), a 15
6. Dion Simon, Nzl (Wanty-Group Gobert), a 17
7. Simon Geschke, Ale (Sunweb), m.t.
8. Julen Amezqueta, Esp (Caja Rural), a 23
9. Ben Swift, GB (UAE Team Emirates). a 29
10. Frederik Backaert, Bel (Wanty-Group Gobert), a 35

Classificação geral individual:
1. Michal Kwiatkowski, Pol (Sky), 18:54.11 horas
2. Geraint Thomas, GB (Sky), a 1.31 minutos
2. Tejay Van Garderen, EUA (BMC), a 2.16
4. Bauke Mollema, Hol (Trek-Segafredo), a 2.22
5. Bob Jungels, Lux (Quick-Step Floors), a 2.33
6. Jaime Roson, Esp (Movistar), a 2.49
7. Maximilian Schachmann, Ale (Quick-Step Floors), a 2.50
8. Serge Pauwels, Bel (Dimension Data), m.t.
9. Felix Grossschartner, Aut (BORA-hansgrohe), a 2.51
10. Nelson Oliveira, Por (Movistar), a 2.54

Classificação Geral por Equipas:
1º TEAM SKY SKY 56:47:11
2º QUICK – STEP FLOORS QST a 01:24
3º BMC RACING TEAM BMC a 03:20
4º BORA – HANSGROHE BOH a 03:43
5º TEAM KATUSHA ALPECIN

Classificação Geral por pontos:
1º 94 KWIATKOWSKI, Michal SKY 51-Ptos. |
2º 81 GROENEWEGEN, Dylan TLJ 50-Ptos. |
3º 112 DEGENKOLB, John TFS 24-Ptos. |
4º 13 PELUCCHI, Matteo BOH 24-Ptos. |
5º 151 DUPONT, Timothy

Classificação Geral Montanha:
1º 63 KING, Benjamin DDD 21-Ptos.
2º 94 KWIATKOWSKI, Michal SKY 19-Ptos.
3º 15 POSTLBERGER, Lukas BOH 11-Ptos.
4º 245 RODRIGUES, Joao W52 11-Ptos.
5º 65 PAUWELS, Serge DDD 11-Ptos.

Classificação Geral Juventude:
1º 105 OOMEN, Sam SUN 18:57:35 |
2º 192 CARVALHO, André LSC a 05:39 |
3º 104 KAMNA, Lennard SUN a 07:02 |
4º 191 CRISPIM, Andre LSC a 08:57 |
5º 237 ERRAZQUIN, Xuban VFB a 10:33

 

Imagens da 5ª e última etapa da Volta ao Algarve
Fotos: Nelson Inácio|Sul Informação e Helder Romão

 

Últimos Vencedores da Volta ao Algarve:
2017 – Primoz Roglic (Team Lotto NL-Jumbo)
2016 – Geraint Thomas (Sky)
2015 – Geraint Thomas (Sky)
2014 – Michal Kwiatkowski (Omega Pharma-QuickStep)
2013 – Tony Martin (Omega Pharma-QuickStep)
2012 – Richie Porte (Sky)
2011 – Tony Martin (HTC-Highroad)
2010 – Alberto Contador (Astana)
2009 – Alberto Contador (Astana)
2008 – Stijn Devolder (QuickStep)

Comentários

pub
pub